Casos de dengue em Tabatinga alertam para reforço com Força-Tarefa

US - R$ 4,19

×

Casos de dengue em Tabatinga alertam para reforço com Força-Tarefa

O objetivo do envio da equipe é atuar na intensificação das ações de controle ao combate do mosquito Aedes aegypti no município e na fronteira

Com registro de 34 casos de suspeita de dengue notificados sendo, 12 confirmados pelo Laboratório de Fronteira (Lafron-FVS), o município de Tabatinga, distante 1.110 quilômetros da capital, demonstra uma situação de alerta para a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), que enviará nesta segunda-feira, 14, técnicos com experiência em vigilância epidemiológica, ambiental e laboratorial, para compor a equipe da força-tarefa no local.

O número registrado já representa 35,29% do total de casos notificados. O objetivo do envio da equipe da FVS é atuar na intensificação das ações de controle do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikugunya, tendo em vista, que a cidade de Letícia, na Colômbia, que faz fronteira com Tabatinga, notificou surto com 600 casos de dengue.

Tempo hábil

A diretora presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, explica que a finalidade da equipe é atuar em tempo oportuno para evitar um surto da doença no município. “Essa equipe irá compor com os profissionais da Secretaria Municipal de Saúde de Tabatinga, para avaliar a situação e definir as ações em tempo hábil”, explicou.

Rosemary informa que, em breve, o Amazonas entra na sazonalidade da doença, com a chegada das chuvas, típicas do inverno amazônico. “Cerca de 80% dos casos notificados das doenças acontecem no período de novembro a abril. Por isso, a população deve intensificar o cuidado em suas casas e no ambiente de trabalho, para evitar o acúmulo de água parada”, alertou.

Medidas essenciais

O diretor técnico da FVS, Cristiano Fernandes, ressalta a importância de combater o transmissor e orientar sobre as medidas que apesar de simples são essenciais. “A estratégia adotada no Amazonas é baseada no Programa Dez Minutos contra o Aedes aegypti. Basta apenas dez minutos semanais, na qual, cada cidadão pode verificar os possíveis criadouros do mosquito em seus quintais”, salientou.

Para Fernandes, a situação de Tabatinga exige adoção de estratégias integradas. “A circulação de pessoas na fronteira é muito intensa em Tabatinga, o que pode contribuir para o aumento da doença”, avaliou o diretor.

Redução

No último boletim epidemiológico de doenças transmitidas por vetores do Aedes aegypti, elaborado pela FVS-AM, zika apresenta redução de 74% em 2019. De janeiro a setembro foram notificados 112 casos contra 443 casos no mesmo período de 2019. Dengue também apresenta redução de 21%, em 2019, foram notificados 3.372 casos contra 4.271, no ano passado.

Já a febre chikugunya apresentou aumento de 15%, até setembro de 2019, foram notificados 192 casos da doença contra 166 casos notificados em 2018.

 

(*) Com informações da assessoria

Faça um comentário