Vereador de Iranduba é preso em flagrante quando recebia propina

US - R$ 4,13

×

Vereador de Iranduba é preso em flagrante quando recebia propina

A prisão é o resultado do desdobramento da Operação Avaritia, deflagrada, em agosto deste ano, pelo Ministério Público do Amazonas (MPAM.

Vereador foi preso em flagrante quando recebia R$ 5 mil das mãos do prefeito que colaborou com as investigações. (Foto: divulgação MP)

O vereador do município de Iranduba Pedro Paulo Castro de Almeida (Pros) foi preso, no início da tarde desta terça-feira, 19, no momento em que recebia a quantia de R$ 5 mil, diretamente das mãos do prefeito Francisco Gomes da Silva, o Chico Doido, que se propôs a ajudar nas investigações, onde ele aparece como vítima do pedido de propina. 

A prisão do vereador é o resultado do desdobramento da Operação Avaritia, deflagrada, em agosto deste ano, pelo Ministério Público do Amazonas (MPAM), através do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, do Ministério Público do Amazonas (Gaeco/MPAM) e das promotorias de Justiça de Iranduba.

 

Valor total da propina é de R$ 10 mil e o vereador estava recebendo a metade. (Foto: divulgação)

O objetivo da operação é desmantelar um esquema de propina montado dentro do Poder Legislativo municipal com envolvimento de outros parlamentares.

Segundo informações dos promotores do Gaeco, o valor da propina combinado com o vereador preso seria de R$ 10 mil, divididos em duas parcelas iguais.

Na ocasião da prisão, o vereador recebeu a primeira metade. A cena foi registrada em vídeo, também, com uma câmera escondida.

Ainda no mês de agosto, outros dois vereadores foram presos acusados de pedirem dinheiro em troca de apoio aos projetos do prefeito.

O vereador Pedro Paulo, que também é conhecido como “Pepe”, é o terceiro parlamentar preso pela Operação Avaritia.

 

(*) com informações da assessoria

Faça um comentário