US - R$ 4,13

×

Maraã é um dos municípios mais pobres do interior do Amazonas

Mais de 50% da população dessa cidade se encontra abaixo da linha de pobreza, assim como Santo Antônio do Içá, Santa Isabel do Rio Negro e Itamarati

Municípios é um dos mais pobres do interior do Amazonas (Foto: Divulgação)

Os municípios de Maraã, Santa Isabel do Rio Negro, Santo Antônio do Içá e Itamarati possuem mais de 50% da população em situação de extrema pobreza, revelou o Atlas Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) Amazonas, divulgado nesta terça-feira, 10, pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Esse é primeiro boletim informativo relativo aos dados sobre erradicação da pobreza no Estado.

Já cidade de Manaus está mais próxima de atingir o objetivo de erradicar a pobreza com percentual de 7%. Porém, a capital concentra 20% da população do Estado em situação de extrema pobreza. Os dados apontam em seguida o município de Rio Preto da Eva, que fica na região metropolitana, com 15%, para alcançar a meta.

De acordo com o estudo, esse aumento foi causado pela crise econômica e política recente que inverteu a tendência da década anterior, que registra um período prolongado de redução da pobreza extrema. O Atlas é uma iniciativa da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), por meio do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia (PPGCASA).

Os municípios de Manaus, Parintins, Maués, Coari, São Gabriel da Cachoeira e Itacoatiara apresentaram as maiores populações extremamente pobre que juntas somam um terço da população nessa condição no Estado. As informações utilizadas para a análise no Amazonas são do Censo realizado em 2010, no levantamento, a população do estado possuía aproximadamente 3,5 milhões de pessoas, das quais 653 mil encontravam-se em níveis de extrema pobreza.

“O boletim técnico tem uma edição a cada mês. O  tema desse primeiro lançamento trabalha a erradicação da pobreza extrema no Amazonas, usando o dados do Censo de 2010 para avaliar a porcentagem de pessoas vivendo na linha da pobreza no Amazonas. Apenas Manaus se aproxima da meta, apresentando 7% das pessoas em extrema pobreza”, informou o coordenador do projeto, professor Henrique dos Santos Pereira.

Para o Estado como um todo, 19% da população encontrava-se abaixo do limiar de extrema pobreza, o que representava mais que o dobro da taxa nacional. A média dos municípios amazonenses é de 34% da população como pessoas extremamente pobres.

Faça um comentário