US - R$ 4,13

×

Professores de Itacoatiara param por falta de pagamento

Somente 20% dos educadores estão em sala de aula por decisão da justiça

Com as datas-bases dos anos de 2018 e 2019 em atraso, professores da rede municipal de Itacoatiara, distante 175.89 de Manaus, se reuniram nesta segunda-feira, 11, em uma manifestação pacífica em frente à Escola Municipal Jamel Amed, para cobrar os pagamentos dos trabalhadores da Educação.

De acordo com o secretário de Finanças do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (Sinteam), Cleber Ferreira, durante a manifestação dos professores, o secretário de finanças do município conseguiu marcar uma audiência com o prefeito da cidade.

Os professores e os sindicatos se reúnam com a Prefeitura de Itacoatiara para discutir a possibilidade de pagamento. (Divulgação)

“A manifestação teve a participação do Sinteam e o Sindicato Municipal dos Professores de Itacoatiara. Os professores municipais paralisaram as atividades por conta dos atrasos nas datas-bases e reajuste do salário desde o ano passado”, disse.

Segundo Cleber Ferreira, a previsão é a partir das 14h, os professores e os sindicatos se reúnam com a Prefeitura de Itacoatiara para discutir a possibilidade de pagamento dos trabalhadores da educação.

Cleber Ferreira disse que os professores que cumprem 40 horas de trabalho semanais recebem R$2.330,38, mas o valor é inferior ao piso nacional da Educação, que é de R$ R$ 2.557,74 para o ano de 2019.

“A Prefeitura deu uma proposta de incorporar 5% e dar mais 2% para igualar o piso, mas esses 5% já era o que havia sido negociado anteriormente, ou seja, ele ia dar 2% apenas”, disse Cleber Ferreira.

Judicial

Após uma decisão judicial, Cleber Ferreira disse que os professores resolveram manter 20% dos educadores nas salas de aulas.

Sem resposta

A reportagem não recebeu retorno por parte do prefeito Antônio Peixoto. A qualquer momento, esta matéria poderá ser atualizada.

Faça um comentário