Sem sinalização, rodovia Manoel Urbano leva perigo a condutores

US - R$ 4,13

×

Sem sinalização, rodovia Manoel Urbano leva perigo a condutores

Trechos da estrada AM-070 chegam a ter, aproximadamente, 1,5 metros de diferença de uma uma via para outra

(Márcio Silva/Amazonas1)

A rodovia Manoel Urbano (AM-070), que liga Manaus a cidade de Manacapuru, município do interior do Amazonas, distante 103 quilômetros da capital, apresenta trechos que chegam a ter, aproximadamente, cerca de 1,5 metros de diferença de uma via para outra, devido às obras da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra).

A informação foi confirmada pela reportagem do Amazonas1, que fez o percurso de Manaus até a Terra da Ciranda no último final de semana e registrou, em imagens, a assimetria. 

A altura de um carro, modelo Corsa Classic Sedan, é de aproximadamente, 1,5 metros (Márcio Silva/Amazonas1)

No entanto, o perigo maior para quem enfrenta a trajetória diariamente, é a sinalização que está afetada em algumas partes da estrada. Para o motorista Antônio Mendes, que conhece pouco da estrada e só viaja em ocasiões de trabalho, o percurso é ainda pior a noite.

“Os trechos que apresentam a elevação podem ocasionar em acidentes, isso se não já aconteceu. Viajar a noite é ainda mais perigoso, devido a sinalização escassa. Para quem conhece pouco da estrada como eu, precisa redobrar a atenção”, diz Mendes.

De acordo com a Seinfra, as obras de duplicação da AM-070, apresentam um percentual de obra pronta de 60%, mas que tiveram uma redução no ritmo de trabalho em razão da chegada antecipada do período de chuvas na região.

“A empresa responsável pela obra continua com máquinas e homens mobilizados e, no momento, está realizando a sinalização definitiva de 10 quilômetros de pista já duplicada, nos trechos compreendidos do km 78 até o Balneário do Miriti, e nas proximidades do Ariaú”, diz a Seinfra.

A secretaria informa, ainda, que a redução de ritmo, contudo, não altera o cronograma estabelecido, os custos previstos e nem provoca alteração contratual. “O ritmo anterior desta obra deverá ser retomado a qualquer momento, dependendo da situação climática. A obra tem previsão de entrega para o segundo semestre de 2020”, finalizou.

Faça um comentário