Servidores cobram salários atrasados; prefeito diz que é perseguição política

US - R$ 4,13

×

Servidores cobram salários atrasados; prefeito diz que é perseguição política

Funcionários denunciam Rubem Barbosa (Pros) por atraso de pagamentos e realizaram manifestação em Alvarães na última sexta-feira, 8

Manifestação aconteceu na sexta, dia 8, em Alvarães (Foto: Divulgação)

Servidores da Prefeitura de Alvarães (a 661 quilômetros de Manaus) realizaram um protesto na sexta-feira passada, 8, cobrando o pagamento de salários que estariam atrasados há pelo menos sete meses. Conforme denúncias e relatos que chegaram à redação do Amazonas1, funcionários efetivos e contratados das pastas de saúde, educação e assistência social cobram os pagamentos e denunciam o descaso do prefeito da cidade, Rubem Barbosa (Pros), que teria, inclusive, demitido alguns temporários.

  

Oposição na cidade, o vice-presidente da Câmara Municipal de Alvarães, vereador Ewerton Mendes (PP), disse que apresentou denúncia no dia 25 de setembro ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) sobre os constantes atrasos salariais e ainda desvios de recursos públicos estaduais e federais, como o Fundeb.

O processo nº 16572/19 em que consta denúncias de corrupção formalizada pela Câmara Municipal foi admitido pela presidência do TCE-AM e publicado no Diário Eletrônico da instituição no dia 11 de outubro. O caso ainda está em análise.

Ewerton acrescenta ainda que ofereceu as mesmas denúncias aos Ministérios Público Estadual e Federal, respectivamente. “A corrupção aqui está muito grave e os serviços, como saúde estão precários”, acrescentou.

A reportagem procurou o Sindicatos dos Servidores municipais, sem sucesso.

‘Ação tem cunho político’

O prefeito de Alvarães, Rubem Barbosa, classificou o protesto como uma ação de cunho político devido à proximidade das eleições municipais e, afirma que participaram entre 30 a 40 servidores na manifestação, encabeçada por adversários políticos na cidade. “Isso é mentira, tem mais cunho político do que, realmente, cobrando salários. Temos quase 500 funcionários e apenas 40 participaram”, respondeu.

Ele afirmou que os salários de funcionários efetivos estão em dia, mas admitiu que os pagamentos dos temporários estão atrasados. “Os contratados, realmente, estavam atrasados, mas já pagamos a grande maioria. Acredito que até dia 20 concluo esses pagamentos. Mas, quanto aos efetivos, nem posso atrasar esses salários”, explicou Barbosa.

O prefeito acrescentou que esses atrasos nos salários dos funcionários temporários se deram devido à decorrência da redução de repasses de fundos constitucionais, desde abril deste ano, em que o município sofre por conta de bloqueios judiciais nas contas municipais, tanto da Receita Federal quanto da Justiça do Trabalho, de “dívidas trabalhistas de gestões anteriores”.

Faça um comentário