Manaus tecnológica | Cristina Monte | Amazonas1

US - R$ 4,18

×

Manaus tecnológica

Ela nem é tão jovem assim, mas chega aos seus 350 anos com muita vitalidade, cheia de vida e de planos para o futuro! Pra começo de conversa, ela é a que mais se destaca na região Norte do País, não sei se pelos seus encantos de floresta sedutora, pelo temperamento, cheio de humores e calores, ou pela vocação de se reinventar!

A história começa lá atrás! Não à toa, foi considerada no começo do século XX como a “Paris dos Trópicos”, com seus ares europeus e modismos, enriqueceu com o ciclo da borracha, passando por um intenso processo de modernização, porém a excelente fase econômica não durou pra sempre.  Mas, se você pensa que tudo acabou por aí, não, não! Seu símbolo de maior expressão de modernidade e sucesso se eternizou na opulência do Teatro Amazonas, até hoje visitado por estrangeiros de toda parte do globo.

Manaus já mostrava que não seria apenas mais uma donzela charmosa e de personalidade marcante fincada numa região quase esquecida e ao mesmo tempo cobiçada por todos, coisas da dicotomia! Contudo, sua potencialidade gritou mais alto e acabou sendo conhecida muito além de as margens de seus rios, tornou-se – inclusive – uma celebridade internacional, capaz de causar mal estar diplomático porque todos a desejam e querem dar pitacos no seu destino. Também quem mandou ser tão exuberante?

E entre seus caminhos, trilhas e becos, sua gente se mistura: madames e empregados, políticos e capatazes, empresários e caboclos, bem diferente da aversão entre as águas dos rios Negro e Solimões, todos dividem e compartilham as alegrias e aflições da vida cotidiana.

Ela até mantém certo ranço de provincianismo que insiste em permanecer nas conversas de botequim, nas fofocas sobre os bastidores da política local e de empresários endinheirados, mas – acompanhando o enredo de novela mexicana, parecem ter surgido mesmo na zona Leste da cidade, mas os menos abastados são puros demais para tramas tão arquitetadas!

O fim do ciclo da borracha levou o glamour embora, mas não a marrentice e foi aí que Manaus se refez e, mais uma vez, se modernizou com a criação do Polo Industrial de Manaus, administrada pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA). Agora a paisagem da cidade se formava na contradição das mangueiras, castanheiras, andirobas, e sumaúmas com as linhas frias da produção fabril e chão de fábrica das grandes multinacionais que fincaram raiz por aqui.  Por muito tempo essa matriz econômica alimentou e engordou Manaus, e os cofres dos bancos estrangeiros, porém a tecnologia desenvolvida, guardada a sete chaves nas sedes internacionais, pouco contribuiu para o seu desenvolvimento. 

Agora Manaus, mais experiente e madura, procura se adequar às exigências dos novos tempos e é na tecnologia que descobre uma nova aptidão. Centros de pesquisas, instituições de ensino, governos, empresários e demais atores têm se movimentado numa rede de conexões e cooperação mútua para alavancar outra matriz econômica que dê suporte ao parque industrial, porém, que finalmente estimule o desenvolvimento e fortalecimento de um polo digital capaz de gerar oportunidades na área de empreendedorismo digital para sua gente.  

A SUFRAMA, por meio do Governo Federal, implementou os programas prioritários justamente para promover áreas importantes ligadas ao segmento tecnológico, que vão desde a capacitação profissional e passam por aproximação das startups e indústrias.

O CODESE (Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Manaus), em parceria com a Prefeitura de Manaus, o Instituto Sidia, Samsung, InfoStore, INDT, FPF Tech, entre outros, promoveu a 2ª edição da Feira do Polo Digital de Manaus, em outubro, justamente para comemorar o aniversário da cidade,   e  reuniu nos três dias de evento cerca de 20 mil pessoas.

Com o tema “Manaus Inteligente”, a cidade respirou tecnologia e não é só por conta de holograma, robô, drone e outras parafernálias exibidas na feira, mas, sobretudo, por unir esforços em criar estratégias para tornar Manaus cada vez mais moderna, conectada, tecnológica e preparada para os desafios do mundo 4.0.

Ela sabe que há muito a ser feito e muita chuva pra cair, mas o caminho está sendo desenhado! Parabéns Manaus, tamo junto!

www.cristinamonte.com.br

 

 

 

Faça um comentário

Veja Também