US - R$ 4,12

×

Você está parado ou desempregado?

Um ano após a aprovação da Reforma Trabalhista, pouca coisa mudou para o empregado. Culpa das atitudes do governo que deixa o mercado de cabelos em pé ou não, o fato é que milhões de brasileiros seguem desempregados, subutilizados ou – pior – desalentados. Seja como for, o que a gente vê é um panorama instável e sem grandes perspectivas ao médio prazo.  Então, se você faz parte desse contingente, eu te pergunto: você está parado ou desempregado?

Se mexa, que acontece

Porque são duas coisas bem diferentes! Estar desempregado não significa que você esteja parado! Como assim? Bem, não estar atuando numa empresa, não representa que você tenha que ficar de abraços cruzados esperando a boa vontade de o mercado te chamar pra trabalhar!  Então se você está desempregado, mas continua se mexendo, muitas coisas podem acontecer.

Em primeiro lugar, você continua desenvolvendo seu networking, que pode ser útil na hora de uma indicação. Segundo, você consegue receber algo pelo seu freelance ou algum bico que esteja disposto a fazer, mostrando assim seu potencial a um possível empregador, que vendo sua atuação pode despertar interesse e te fazer uma proposta. Ah! Ganhar pouco é melhor que não ganhar nada! Hoje, não podemos nos dar ao luxo de querer receber o que achamos justo. Infelizmente…

Não se abale emocionalmente

Em terceiro, você continua circulando e por dentro do que está acontecendo, pois, após 6 meses parado, não há como acompanhar a dinâmica desse mercado que muda toda hora e o sonho da contratação vai ficando cada vez mais distante.

E, talvez, um dos itens que eu considero ser ultra importante: você se movimentando mantém a autoestima e ânimo pra seguir tentando e vencendo os obstáculos. Já ouviu aquele ditado “mente vazia é oficina do diabo”? Ou seja, ficar parado significa que se corre o risco de pensar um monte de bobagens, perder a esperança e ficar paralisado. Fuja dessa fria!

Como fazer?

Se você está desempregado, divida seu tempo entre os bicos, e estude pela internet, que oferece um monte de opções sem precisar pagar, participe de palestras gratuitas ou mesmo de grupos afins, que podem trazer sugestões, dicas ou expandir a visão para outros negócios. Procure participar nas redes sociais profissionais, como o LinkedIn, por exemplo,  manter um bom currículo atualizado e interaja nas redes, nos grupos, se mostre!

O negócio é não ficar parado!

Por fim e não menos importante, trabalhe como voluntário, além de preencher seu tempo com uma ação benevolente, você pode despertar a atenção de algum gestor e assim gerar alguma oportunidade de trabalho remunerado ou mesmo emprego com carteira assinada. Como voluntário você pode descobrir outros talentos e desenvolver outras profissões ou se atualiza na sua e, além disso, o recrutador que tiver acesso ao seu currículo irá ver com bons olhos a sua atitude altruísta.

Pois, se o selecionador estiver diante de dois currículos de igual teor, certamente o que tiver o diferencial constando “trabalho voluntário” terá muito mais chance de continuar no processo seletivo. Dessa forma, você estará fazendo bem aos demais, mas muito mais a você!

 

 

Faça um comentário