Mudanças no ensino na Semed: a primeira vitória - Amazonas1
24 de fevereiro de 2021
Site auditado pelo
Manaus
24oC  31oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Mudanças no ensino na Semed: a primeira vitória

Por Gedeão Amorim*   No primeiro ano de mandato na Câmara Municipal de Manaus (CMM), conseguimos aprovar a nossa primeira legislação oriunda do Projeto de Lei 065/2017, que implanta o Ensino Direcionado nas escolas da Secretaria Municipal de Educação (Semed), na modalidade do estudo extraclasse. Nos moldes do ensino japonês – a exemplo da franquia Kumon […]

Mudanças no ensino na Semed: a primeira vitória

Por Gedeão Amorim* 

 No primeiro ano de mandato na Câmara Municipal de Manaus (CMM), conseguimos aprovar a nossa primeira legislação oriunda do Projeto de Lei 065/2017, que implanta o Ensino Direcionado nas escolas da Secretaria Municipal de Educação (Semed), na modalidade do estudo extraclasse.

Nos moldes do ensino japonês – a exemplo da franquia Kumon – o ensino tem como propósito disciplinar a forma de aprendizagem do aluno com um estudo  autônomo. Considero este um método revolucionário para as escolas públicas, porque pode mudar o sistema de educação, gerando alunos autodidatas e  uma sociedade integrada à leitura e à busca individual pelo conhecimento.

Nessa nova legislação, o Estudo Direcionado está fundamentado no princípio didático de que o professor não ensina e, sim, é o agilizador da aprendizagem, ajudando o aluno a apreender o conhecimento. De uma forma especial é uma técnica que põe em evidência o modo como o aluno aprende, mas potencializa a capacidade dele chegar sozinho às respostas. Esse método contribui para que o aluno se desafie cada vez mais e busque sempre ultrapassar suas próprias metas.

É importante destacar que o método de ensino autoritário precisa ser abolido. O professor deve se tornar um orientador, observando os principais potenciais de cada aluno e estimulando-os. O que queremos com esta nova prática de ensino é fazer o aluno perceber a capacidade de aprender por si, só, lendo, pensando, resolvendo seu material com suas próprias forças e avançando por meio do estudo autônomo.

Diretrizes

A prática de Estudo Direcionado é marcada por diversos aspectos como a superação das desigualdades educacionais; melhoria da qualidade social da educação; promoção do princípio da gestão democrática da educação pública; promoção humanística, científica, cultural e tecnológica do Município e valorização dos profissionais da educação.

Quanto à contratação de profissionais especializados para ministrar as aulas, o projeto de lei sugere que os  próprios professores passem por um curso de aperfeiçoamento nessa nova técnica, que servirá de grande enriquecimento curricular e melhorará a aprendizagem de seus alunos.

Quando fui titular da Secretaria de Estado de Educação (Seduc – 2005 a 2012), sempre busquei implantar ferramentas de estudos diferenciadas e modernas nas salas de aula, recebendo elogios de alguns e críticas de outros, mas sempre colhendo ótimos resultados.

O Ensino Direcionado é uma prática inovadora que poderá, no início, ter resistências de educadores e estudantes, porque muda a rotina escolar  das unidades de ensino, mas tenho certeza que formará homens e mulheres conscientes de sua realidade e, principalmente,  sabedores de sua responsabilidades como cidadãos.

(*) Gedeão Amorim é vereador de Manaus. É filósofo, pós-graduado em Administração em Políticas e Gestão Institucional. Foi secretário de Educação do Estado, Superintendente da Funasa e Diretor do Hospital Francisca Mendes.

 

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading