Advogada do Ceará é presa por intermediar venda de cocaína

Denúncias, sugestão de matérias e outros assuntos

10 de agosto de 2020
Site auditado pelo
Manaus
23oC  33oC
Buscar

Redes Sociais

redacao@amazonas1.com.br

Advogada do Ceará é presa por intermediar venda de cocaína

Elisângela Mosororó estava foragida há um mês. A Polícia Civil afirmou que a advogada intermediou a venda de 40 quilos de cocaína

Advogada do Ceará é presa por intermediar venda de cocaína

A advogada Elisângela Mororó, de 46 anos, foi presa em Catarina, no interior do Ceará. Ela é suspeita de atuar em uma organização criminosa de traficantes de drogas. A Polícia Civil afirmou que a advogada intermediou a venda de 40 quilos de cocaína.

Elisângela estava foragida há um mês, com mandado de prisão preventiva por integrar organização criminosa, tráfico e associação para o tráfico. Ela cobrava R$ 15 mil pelo quilo da droga, informa a reportagem, mas o valor era alterado conforme a negociação.

Os outros detidos

Um mandado de prisão foi aperto para Antônio Gonçalves Neto, de 45 anos, por receptação, porte ilegal de armas, tráfico e associação para o tráfico. Ele é conhecido como “Zói”.

Conhecido como “Manin”,Vicente Leite Sobreira, de 31 anos, tem três mandados em aberto por oito homicídios, porte ilegal de armas de uso restrito, tráfico, organização criminosa, receptação e associação criminosa. Faz parte de uma facção.

A polícia

A Polícia Civil localizou o trio na casa de um homem apontado como chefe de uma facção criminosa. Com eles, foi encontrada uma pistola com a numeração raspada, meio quilo de cocaína, e dois veículos utilizados pelo grupo.

Em setembro Elisângela entregou um papel junto com um biscoito com um plano de fuga para um detento que estava preso dentro do presídio no Ceará.

Eles foram presos por tráfico de drogas, associação para o tráfico, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e integrar organização criminosa.

(*) Com informações do site Metrópoles

Amazonas1 TV

Publicado por Amazonas1

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading