US - R$ 4,16

×

Atos se espalham pelo país após assassinato de vereadora


O assassinato da vereadora do Rio Marielle Franco (PSOL), na noite desta quarta-feira (14), resultou em uma série de atos programados país afora.

Foto: Divulgação)

Pelo menos 11 capitais estão realizando ou farão manifestações nesta quinta (15) em alusão à morte da parlamentar.

Um ato foi realizado na praça da Cinelândia, em frente à Câmara. Os manifestantes levaram flores e cartazes contra a intervenção federal no Rio. Eles também fizeram coro contra a Polícia Militar.

Políticos e colegas da Câmara também estão no local. Uma das principais lideranças do PSOL, o deputado federal Chico Alencar fez um discurso na escadaria do Palácio e disse que as famílias pediram uma cerimônia reservada. Ele disse que há “opressão” e pediu uma vigília em memória à vereadora, com “serenidade”. Os corpos ainda não foram liberados.

Líderes religiosos participam do ato e pediram orações. Roberto Cavalcanti, da Assembleia de Deus, disse que o crime representa a morte “da esperança”.

Também nesta manhã, duas manifestações estão programadas, para Salvador, na Tenda Sem Medo, no Fórum Social Mundial, e Brasília, no anexo 2 da Câmara dos Deputados.

Além do ato na Cinelândia, o Rio de Janeiro tem outro protesto definido para as 17h, na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro).

No mesmo horário, está prevista manifestação em São Paulo, no Vão livre do Masp (Museu de Arte de São Paulo).
À tarde, há atos programados às 16h, em Recife (Câmara Municipal), 17h, em Belém (av. Almirante Barroso), Natal (rua Apodi) e Florianópolis (esquina feminista), 17h30, em Belo Horizonte (praça da Estação) e Porto Alegre (esquina democrática), e 18h30, em Curitiba (prédio histórico da UFPR).

Além das capitais, em Minas Gerais foi marcado um ato em Juiz de Fora (17h30, parque Halfed), enquanto Campos, no Rio, fará manifestação às 18h na UFF.

Faça um comentário