US - R$ 3,71

×

Ministério Público divulga lista de páginas excluídas pelo Facebook


A lista das 196 páginas e dos 87 perfis excluídos pelo Facebook no último dia 25 foi divulgada nesta segunda-feira, 6, pelo Ministério Público Federal (MPF) em Goiás. Dentre elas, estão quatro páginas do Movimento Brasil Livre (MBL) e pelo menos três páginas de apoio ao candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL). 

Segundo o Facebook, todas as páginas e contas removidas violaram diretamente as políticas de autenticidade da rede social. 
“Essas páginas e contas faziam parte de uma rede coordenada que se ocultava com o uso de contas falsas no Facebook”, disse a empresa, em resposta a um pedido do procurador da República Ailton Benedito, de Goiás, para que justificasse as exclusões e liberasse a lista dos perfis atingidos.

(Foto: Reprodução)

Entre as páginas removidas estão as do MBL em Caraguatatuba, Jacareí, São José dos Campos e Taubaté, todas no Estado de São Paulo. Também estavam na lista dois endereços do Ceticismo Político, perfil ligado ao MBL. A página se notabilizou por promover em março, em tom de apoio, afirmações infundadas de uma desembargadora que associou a vereadora assassinada Marielle Franco ao tráfico de drogas.

Foram excluídas ainda três páginas que aparentemente apoiavam o candidato do PSL – “Bolsonaro o Mito”, “Bolsonaro Presidente” e “Vamos falar de Jair Bolsonaro?” – e outras que utilizavam nomes de veículos de imprensa reais. Não é possível saber os nomes relacionados às contas individuais removidas, já que o Facebook apenas listou os seus números de identificação.

Logo após a remoção das páginas, o MBL divulgou nota afirmando que os perfis dos coordenadores Renato Battista, Renan Santos e Thomaz Barbosa, tinham sido excluídos. O movimento organizou um protesto no dia seguinte em frente ao escritório do Facebook no Brasil, na zona oeste de São Paulo.

Nesta segunda, por meio de seu perfil principal na mesma rede social, o MBL ironizou a lista e disse que “apenas meia dúzia de páginas de fato eram do MBL e seus coordenadores, de resto, tudo um pacotão mal explicado da tal ‘rede do MBL'”. 

“Sinceramente, esperávamos mais do Facebook. Uma investigação internacional com especialistas e tudo resultou na exclusão de páginas como ‘Espaço amigas de Joinville’ e ‘Top Animes Forever'”, diz a publicação.

 

 

*Com informações da Folhapress

Faça um comentário