Ricardo Salles se recusa a prestar homenagem aos índios mortos

US - R$ 4,16

×

Ricardo Salles se recusa a prestar homenagem aos índios mortos no MA

Caetano Scannavino, coordenador do projeto Saúde e Alegria, fez a proposta de um minuto de silêncio em homenagem aos índios e pediu providências ao governo

Imagem mostra o ministro no momento em que se recusa a dar as mãos em homenagem aos mortos, (Foto: reprodução site revistaforum)

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, se recusou a dar as mãos a representantes da sociedade civil em um minuto de silêncio em memória dos caciques indígenas Firmino Prexede Guajajara e Raimundo Belnício Guajajara, da tribo Guajajara, que foram assassinados na manhã de sábado, 7, na estrada BR-226, que corta as aldeias El Betel e Boa Vista, no Maranhão.

A homenagem foi proposta na manhã desta segunda-feira, 9, na COP-25 durante encontro do ministro com representantes de Organizações Não Governamentais (ONGs), entre eles Caetano Scannavino, coordenador do projeto Saúde e Alegria, que teve membros presos acusados colocarem fogo na Amazônia.

No vídeo, Scannavino propõe o minuto de silêncio em memória dos indígenas mortos e pede que não haja mais “derramamento de sangue” na Amazônia.

“Eu acho que a delegação brasileira aqui tem que se unir. Direita, esquerda, governo, não governo, para que não tenhamos mais derramamento de sangue na Amazônia. Porque os caciques têm nome: Firmino Prexede e Raimundo Belnício. E que isso não se repita mais”, diz Scannavino, diante de um Salles visivelmente constrangido.

 

(*) com informações do site revistaforum

Faça um comentário