MENU
logo-amazonasum

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Caso Flávio: quinto juiz se declara suspeito para atuar em processo

O juiz declarou "razões de foro íntimo", por querer preservar a imparcialidade do julgamento
Gabriela Alves -Portal AM1
• Publicado em 05 de junho de 2021 – 15:47
(Foto: Rprodução)

MANAUS, AM – O juiz George Hamilton Lins Barroso, da 1º Vara do Tribunal de Júri de Manaus, se declarou suspeito para atuar no processo que julga o homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues do Santos. Segundo a nota divulgada pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM), na última terça-feira (1º), o juiz declarou “razões de foro íntimo”, por querer preservar a imparcialidade do julgamento.

“Considerando que o objetivo da regra processual de suspeição e de impedimento é preservar a imparcialidade do órgão julgador, a fim de que ele possa apreciar a demanda e realizar decisões com a equidistância necessária para aplicar o direito ao caso concreto, e com fulcro no Art. 145, §1º, do Código de Processo Civil, aplicado à esfera processual criminal por força do Art. 3º do Código de Processo Penal, declaro-me suspeito, por razões de foro íntimo”, escreveu, referindo-se ao filho da ex-primeira dama de Manaus, Elizabeth Valeiko, enteado do ex-prefeito Arthur Neto.

Leia também: Moradores do Educandos cobram auxílio e pontes da Prefeitura de Manaus

De acordo com o TJ-AM, o processo será redistribuído e ainda não se sabe quem vai receber os autos. Além de Barroso, outros quatro juízes já se declaram suspeitos para julgar o caso. O primeiro juiz a se declarar suspeito foi Anésio Pinheiro, da 2º Vara do Tribunal do Júri, em outubro de 2019. Pinheiro afirmou ser amigo de um dos envolvidos.

Em seguida, a juíza Ana Paula de Medeiros Braga, também da 2ºVara do Tribunal do Júri, assumiu o caso. Ela atuou um bom tempo, mas em setembro de 2020, se declarou suspeita para atuar em dez processos oriundos do Caso Flávio.

No dia 25 do mesmo mês, os processos foram redistribuídos para a juíza Eline Paixão e Silva Gurgel do Amaral Pinto, que também alegou foro íntimo. No mesmo dia, o juiz Adonaid de Souza Tavares se declarou suspeito para atuar nos processos do Caso Flávio também por motivo de foro íntimo.

Relembre o caso

O engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos foi encontrado morto na manhã do dia 30 de setembro de 2019 em um terreno baldio no bairro do Tarumã, zona Oeste de Manaus. Investigações apontaram que o engenheiro foi visto, pela última vez, na casa de Alejandro Valeiko, filho da ex-primeira-dama de Manaus, Elisabeth Valeiko.

As investigações apontam o envolvimento de Alejandro Valeiko, Elizeu da Paz, Mayc Vinícius Parede, Paola Valeiko e  José Edvandro Júnior na morte do engenheiro.

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap