Alegando traição da direção estadual ao presidente Bolsonaro, Romero Reis deixa PSL Amazonas

US - R$ 4,19

×

Alegando traição da direção estadual a Bolsonaro, Romero Reis deixa PSL Amazonas

Empresário critica jogo duplo do presidente estadual do partido, deputado federal Delegado Pablo Oliva, em relação à crise nacional da legenda

Empresário Romero Reis alimenta o desejo de disputar a Prefeitura de Manaus, nas eleições 2020 (Foto: Divulgação)

O racha no PSL nacional já registrou a primeira baixa no Amazonas com a desfiliação do empresário e ex-major do Exército, Romero Reis, nesta segunda-feira, 21.

Em carta aberta aos filiados do partido e à sociedade amazonense, o empresário – que despontava como pré-candidato do partido à Prefeitura de Manaus – explicou os motivos pelos quais tomou a decisão de sair do PSL.

“Sinto que minhas ideias vão em sentido contrário ao grupo que atualmente controla o partido. Não há enfrentamento, mágoas ou ressentimentos”, diz na carta, reafirmando, no entanto, seu apoio incondicional ao presidente Jair Bolsonaro e às reformas que ele têm implementado no país.

A declaração de Reis se refere, diretamente, à direção estadual, hoje comandada pelo deputado federal delegado Pablo Oliva. Nos bastidores, o atrito entre os dois era evidente e, conforme material enviado à imprensa, o empresário afirma que não estava concordando com os rumos que a legenda no Estado está tomando.

Um deles é a postura pouco republicana do deputado delegado Pablo em relação ao atrito nacional entre o presidente do PSL, Luciano Bivar, e Jair Bolsonaro. Na avaliação de Reis, Pablo tem feito jogo duplo com os dois dirigentes.

O grupo de Romero considera grave a traição de delegado Pablo ao presidente. “Na campanha de 2016, foi justamente um vídeo gravado por Jair Bolsonaro que alavancou a votação do hoje deputado federal. Todos acreditam que, sem pegar carona na campanha de Bolsonaro, Pablo não teria sido eleito. Por isso, a gravidade da ação do deputado que teria trocado a fidelidade ao presidente pelo dinheiro do fundo eleitoral”, diz a nota disparada pela assessoria de Romero Reis.

Além disso, outro desconforto do empresário, internamente, é o fato de o comando do partido não aceitar discutir, abertamente, a sucessão eleitoral de 2020, em que o empresário se mostra nitidamente interessado em disputar a cadeira de Arthur Neto (PSDB), enquanto que em outros partidos essa discussão está bem avançada.

Reis entregou sua carta de desfiliação nesta segunda e, estuda outros partidos para se filiar, brevemente, de olho na disputa majoritária.

 

*Com informações da assessoria de imprensa

Faça um comentário