Após ataques à ZFM, Bolsonaro deve vir a Manaus em julho

US - R$ 4,19

×

Após ataques à ZFM, Bolsonaro deve vir a Manaus em julho

Segundo a Suframa, Bolsonaro deve vir no mês de julho, porém a autarquia aguarda a definição do Planalto sobre a data da visita presidencial

Após os recentes ataques do Governo Federal à Zona Franca, o presidente Jair Bolsonaro deve vir a Manaus no próximo mês. Ele chegou a marcar duas datas em abril e maio, mas optou por cancelar para acompanhar a articulação da Reforma da Previdência, na Câmara dos Deputados.

Bolsonaro adiou visita por duas vezes (Foto: Divulgação)

Segundo a Suframa, Bolsonaro deve vir no mês de julho, porém a autarquia aguarda a definição do Planalto sobre a data da visita presidencial. Um dos temas a ser abordado por Bolsonaro será a Zona Franca de Manaus, que tem recebido ataques na sua gestão.

Entre as mais recentes ameaças à  ZFM lembramos a publicada no  dia 16, na sua conta no Twitter, onde afirmou que o Ministério da Economia estava estudando a possibilidade de reduzir para 4% os impostos sobre importação de produtos de informática. Caso a medida seja efetivada, retira a competitividade da indústria nacional e afeta diretamente a Zona Franca de Manaus, nos pólos de componentes e eletroeletrônicos. A mais recente aconteceu na última terça-feira (18/06) e foi protagonizada pelo inimigo declarado do Amazonas, ministro Paulo Guedes. Ele afirmou que vai reduzir para zero o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) do concentrado de refrigerantes (xarope). Se o desejo do ministro se confirmar, o polo de concentrados, um dos  maiores do Distrito Industrial, vai sofrer um golpe de morte.

Distrito Industrial

Segundo o prefeito de Manaus, Arthur Neto, o superintendente da Suframa, Cel. Alfredo Menezes Jr., informou que o presidente deveria visitar as obras do Distrito Industrial. Embora a captação de verbas tenha sido realizada na gestão anterior, a liberação e aplicação dos recursos estão sendo realizadas no governo Bolsonaro.

Ainda não se sabe se esse compromisso será mantido na agenda, durante a visita presidencial.

Questionado se Arthur pretende intervir em relação à ZFM, o prefeito destacou que será uma honra se o presidente solicitar sua opinião sobre o assunto. “Eu sei bem o que é prefeito e o que é presidente, e o papel dele é dialogar e ver o que é melhor para a sociedade. Essa é uma conversa natural e eu espero que o presidente ouça o que nós temos a dizer”, enfatizou.

Faça um comentário