Coleta de assinaturas para o partido de Bolsonaro teve mil participantes

US - R$ 5,25

×

Coleta de assinaturas para o partido de Bolsonaro teve mil participantes

O Amazonas já ultrapassou a meta mínima de assinaturas, dizem os organizadores do movimento

(Foto: Márcio Silva)

Coleta de assinaturas para o partido de Bolsonaro, o Aliança Pelo Brasil, conseguiu o apoio de mil pessoas na manhã deste domingo.

A mobilização de coleta foi realizada no auditório do Ducilas Festas e Convenções, na zona Oeste de Manaus.

A atividade reuniu diversos políticos apoiadores do novo partido.

 

Leia mais: Presidente Bolsonaro tem alta média de demissões em um ano de gestão

 

Servidores do 4° Tabelionato de Notas e do Cartório Pinheiro (3° Ofício de Notas) coletaram as assinaturas e devem divulgar a quantidade oficial de assinaturas nesta segunda-feira, 17. 

Segundo os organizadores, cerca de 500 pessoas participaram do evento, ao todo, mil passaram pelo local para a coleta.

A organização informou, também, que o Amazonas já ultrapassou a meta mínima de coleta.

Chegou a aproximadamente duas mil, mas segue no movimento para reforçar a meta nacional para a criação do partido, que é de 500 mil assinaturas. 

Participantes

Estiveram presentes o organizador local, deputado estadual Delegado Péricles (PSL), o deputado federal Capitão Alberto Neto (Republicamos), além do deputado federal Carlos Jordy, vice-líder do governo na Câmara, que destacou a popularidade de Bolsonaro na região norte durante as últimas eleições.

(Foto: Márcio Silva)

“Estamos fazendo uma mobilização nacional (coleta de assinaturas), eu comecei fazendo no meu estado e agora estou fazendo em vários municípios que temos apoiadores. Estou aqui pela primeira vez, isso demonstra que o Norte e o Nordeste, que são historicamente dominados pela esquerda, são votantes da esquerda, estão se transformado”, disse.

O vereador Amauri Colares (PRB) representou a Câmara Municipal de Manaus (CMM) no evento.

Forças de segurança

Representantes da Polícia Penal, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil e o Sindicato dos Caminhoneiros também demonstraram apoio ao novo partido. 

“O presidente precisa de um partido que em sua essência é conservador, que vai conseguir atingir as ações efetivas para o seu governo, pois outros partidos têm certos vícios que não podemos ter no Aliança”, disse o deputado Péricles. 

O deputado Federal Alberto Neto afirmou que mesmo sendo de outro partido não poderia deixar de demonstrar apoio a Bolsonaro, por isso estava no evento de coleta, e disse que está a disposição do presidente, caso tenha que mudar de sigla. 

“O nosso presidente tem sido atacado todos os dias e precisamos reforçar o nosso time, é como se fosse uma guerra, os senhores estão sendo convocados para lutar uma guerra, uma guerra que muitos não querem, não querem ver o nosso país crescer e prosperar”, declarou durante o discurso. 

“Jóio e trigo”

Durante a coleta de assinaturas, o deputado Péricles afirmou que as exigências para entrar no novo partido serão mais rigorosas, a fim de evitar futuros desalinhamentos com a política de Bolsonaro. Para ele, o Aliança Pelo Brasil servirá para separar o jóio do trigo.

“Nós temos temos para se filiar ao partido um “compliamce’, que é um regramento, não é qualquer pessoas que vai se filiar ao partido. Precisa ter ficha-limpa, uma conduta realmente conservadora, de direita para estar conosco”, contou.

 

Veja também

 

Página do Facebook do Aliança Pelo Brasil

 

Para o Carlos Jordy, essas exigências informadas na coleta de assinaturas são necessárias para evitar problemas como em 2018.

Muitos candidatos se elegeram aproveitando a popularidade de Bolsonaro, mas posteriormente romperam com o presidente.

“Não podemos cometer o mesmo erro que cometemos com o PSL”, destacou o parlamentar.

“O Aliança pelo Brasil não terá espaço para oportunistas ou surfistas mas sim para quem acredita no projeto de Jair Bolsonaro e é cão-leal”, finalizou Jordy. 

Faça um comentário