Grazziotin critica líder de Bolsonaro sobre nova Constituição que retiraria direitos trabalhistas - Amazonas1
3 de dezembro de 2020
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Grazziotin critica líder de Bolsonaro sobre nova Constituição que retiraria direitos trabalhistas

O deputado Ricardo Barros (PP-PR) acredita que a Constituição elaborada em 1988 tornou o país "ingovernável"

Grazziotin critica líder de Bolsonaro sobre nova Constituição que retiraria direitos trabalhistas
Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

A ex-senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), apesar de estar fora do cenário político, segue atuante nas redes sociais. Nesta segunda-feira (26), ela criticou a sugestão do deputado federal Ricardo Barros (PP-PR) de escrever uma nova Constituição Brasileira. O parlamentar é líder do presidente Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados.

Por meio de postagem no Facebook, Grazziotin disse que a ideia servirá apenas para por o Brasil em total submissão ao mercado, com retirada de direitos.

“Querem institucionalizar a aplicação do projeto neoliberal, de total submissão ao mercado, da retirada completa dos direitos dos trabalhadores e do enfraquecimento de políticas sociais de inclusão social. O deputado, líder do Bolsonaro, tem a cara de pau de alegar que nossa atual constituição torna o Brasil um “país ingovernável”, disse Vanessa.

Leia mais: Ex-senadora Vanessa Grazziotin publica selfie dentro de ônibus

O assunto de realização de um plebiscito no país para realização de uma assembleia constituinte se baseia no exemplo da população chilena, que alcançou esse objetivo. Segundo a ex-senadora, o objetivo do líder do governo é o inverso do motivo do Chile.

“Lá a população quer refazer a Constituição para reconstruir o país e tirá-lo das amarras do neoliberalismo de Pinochet. Aqui Barros/Bolsonaro querem uma nova Constituição para colocar o Brasil de quatro diante o capital financeiro”, explicou.

Bancada do Amazonas

Alguns membros da bancada do Amazonas no Congresso Nacional se pronunciaram sobre a sugestão do líder do governo.

O deputado federal Marcelo Ramos (PL), nas redes sociais, disse que a ideia é uma demonstração de ignorância política. “A declaração do líder do governo, Ricardo Barros, de que o Brasil precisa de outra Constituição, como o Chile, porque a atual tornou o Brasil ingovernável, demonstra uma ignorância política e histórica”.

Conforme o parlamentar, o que o Chile conseguiu aprovar no último domingo (25), é o mesmo que o Brasil alcançou em 1988.

Atila Lins (PP) declarou que a Constituição Brasileira foi elaborada pelo Congresso e a do Chile foi pela ditadura. José Ricardo (PT) afirmou que a ideia faz parte da política do governo de entregar riquezas do país para os ricos. Bosco Saraiva (SD) acredita o momento é inoportuno para esse tipo de tema no Brasil.

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading