Medidas contra ZFM não afetam adesão a partido de Bolsonaro no AM, diz advogado
27 de outubro de 2020
Site auditado pelo
Manaus
23oC  33oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Medidas contra ZFM não afetam adesão a partido de Bolsonaro no AM, diz advogado

Segundo Paulo Maffioletti, que é integrante do Movimento Advogados Pró-Bolsonaro Brasil, o Amazonas deseja entregar de forma espontânea 50 mil assinaturas.

Medidas contra ZFM não afetam adesão a partido de Bolsonaro no AM, diz advogado
Foto: Reprodução / Twitter

O movimento para a criação do Aliança pelo Brasil – novo partido do presidente Jair Bolsonaro -, no Amazonas, realizará o primeiro encontro de apoiadores neste sábado, 25, na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), das 8h às 18h.

O evento está inserido na agenda nacional e conta com grande expectativa de assinaturas. A nova legenda precisa obter 492 mil assinaturas até o fim de abril deste ano para poder lançar candidatos nas eleições municipais, que ocorrem em outubro. O Amazonas quer entregar 50 mil assinaturas ao presidente.

Em meio a polêmicas envolvendo Bolsonaro e a Zona Franca de Manaus (ZFM), ameaçada pelo governo federal com a redução de incentivos fiscais, o advogado Paulo Maffioletti, um dos organizadores do evento em Manaus, diz que as medidas do presidente em relação ao modelo econômico não afetarão a adesão da Aliança no Amazonas.

A declaração de Maffioletti foi dada durante entrevista aos jornalistas Paula Litaiff e Patrick Motta no programa ‘Diário da Manhã’ desta quarta-feira, 22, da TV Record News.

O advogado disse que o termo “ataques à Zona Franca” é  uma retórica que opositores ao governo de Bolsonaro tentam emplacar no Amazonas.

“Não se trata de ataque do governo Bolsonaro. Querem jogar tudo que ocorre no mundo e no Brasil no presidente. O governo Bolsonaro está no governo apenas há um ano e logo ele não pode ser responsabilizado por qualquer ato que venha a se concretizar a qualquer momento”, defendeu Maffioletti.

Ainda segundo o advogado, o Amazonas tem meta de assinaturas para entregar ao presidente. “Queremos entregar 50 mil assinaturas. Esse é um convite do presidente Jair Bolsonaro a todos os integrantes patriotas que o elegeram no ano de 2018 para que juntos possamos avançar nesse encaminhamento que diz respeito à criação do partido político Aliança pelo Brasil, que é de direita e conservador”, afirmou.

No Amazonas, o número de votos ao presidente foi de mais de 500 mil, nas eleições de 2018. Em todo o Brasil, foram mais de 57 milhões

‘Refém de incentivos’

Para Maffioletti, o governo Bolsonaro não está agindo contra a Zona Franca, apesar da proteção da autarquia ser uma das suas promessas de campanha.

Ele afirmou ainda que não podemos ser refém de incentivos. “Não podemos aceitar que nenhuma medida governamental se trate de um ataque à Zona Franca, em relação aos incentivos fiscais. Não sou tributarista, mas falo como cidadão que incentivos fiscais, visam, no contexto do Amazonas, desenvolver a região e reduzir desigualdades”, explicou.

Outra medida que o advogado usou para defender as ações de Bolsonaro foi atribuir a dependência do modelo aos governos que passaram pelo Amazonas.

“O que os governos fizeram pela Zona Franca para ela não depender eternamente de incentivos fiscais? Isso é temerário. Entendo que as empresas que estão no Amazonas, estão pela geração de emprego e renda, e estão mantendo a floresta em pé e o desenvolvimento sustentável”, concluiu.

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading