MP arquiva inquérito que gerou cassação do mandato de Melo

US - R$ 4,13

×

MP arquiva inquérito que gerou cassação do mandato de Melo

O inquérito investigava irregularidades no contrato do governo com a empresária Nair Blair

(Gabriel Ricardo/Agência Am1)

A promotora Wandete de Oliveira Netto arquivou inquérito civil criado para apurar suspeitas de improbidade administrativa em denúncia que gerou cassação do mandato do ex-governador José Melo, em 2017, em contrato com a empresa pertence à Nair Blair.

Sem detalhe

Sem informações muito detalhadas sobre o arquivamento, a promotora cita que o inquérito visava investigar contrato do governo de Melo com empresa de Blair, no valor de R$ 1 milhão, e informa que os interessados podem recorrer contra a decisão no Conselho Superior do MP.

Wilson Lima

Após a morte de 17 suspeitos de tráfico de drogas pela polícia na semana passada, o governador Wilson Lima (PSC) foi, nessa terça-feira, 5, para suas redes sociais mostrar projetos do governo que atuam na ressocialização de presos, como obras em uma delegacia. “Pasmem, com a mão de obra isenta realizada pelos presos essa restauração findou em um custo de R$ 2.300, valor apenas dos materiais utilizados na manutenção. A segurança pública não se faz só com repressão”, disse.

Intervenção

O prefeito Arthur Neto (PSDB) convocou seu staff para uma reunião, na noite dessa terça-feira, 5, na qual tratou sobre a intervenção do transporte público. O TCE deu cinco dias, a contar dessa terça, para que a Prefeitura de Manaus apresentasse um relatório sobre a intervenção.

Sem energia

Durante toda a Sessão Plenária na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), na manhã dessa terça, 5, ocorreram várias interrupções em razão à queda de energia elétrica, obrigando o deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) a encerrar a sessão do dia.

Adiado

A pedido da Amazonas Energia, uma audiência pública que debate os blecautes do serviço da concessionária foi adiada desta semana para o próximo dia 13. A audiência foi proposta pelos deputados estaduais Álvaro Campelo (Progressistas) e Wilker Barreto (Podemos).

Em jejum

Deputado federal pelo Amazonas, Silas Câmara (PRB) apresentou projeto de lei na Câmara Federal para instituir o Dia Nacional de Jejum, Oração, Arrependimento e Perdão Pelas crianças e pelo Brasil, no dia 12 de outubro.

Deputados federais aprovaram PL que libera armas para caçadores. O Projeto de Lei 3723/19 foi aprovado com 283 votos favoráveis e 140 contrários. O PL segue para o Senado (Foto: Luis Macedo/Agência Câmara)

MP investiga perseguição a delator de Adail Filho

O Ministério Público do Amazonas (MP-AM) investiga indícios de retaliação da Prefeitura de Coari, na atual administração de Adail Filho (Progressistas), contra o engenheiro civil Geraldo Severino da Costa Sobrinho, servidor efetivo do município.

As investidas vieram após Geraldo prestar depoimento ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP-AM e ter pontado diversas irregularidades em obras públicas da prefeitura, sob a fiscalização do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM).

Promotor que comandou a operação ‘Patrinus’, em setembro deste ano, na qual apontou o desvio de R$ 100 milhões na gestão de Adail Filho, Weslei Machado disse que o engenheiro sofreu relotação de cargo e até ficou sem receber a remuneração, depois de contribuir com as investigações do MP que culminaram na prisão preventiva do prefeito.

Para Wesley, a ação da prefeitura deverá caracterizar improbidade administrativa de Adail Filho por violação dos princípios da legalidade, da moralidade administrativa e da impessoalidade.

Ficha financeira

Para apurar a denúncia de retaliação contra Geraldo Sobrinho, o MP-AM fez um requerimento à Prefeitura de Coari, solicitando cópia da Ficha Financeira dos anos de 2018/2019 dos servidores públicos e motivos que levaram o município a trocar o servidor de departamento.

Mais denúncias

Além das suspeitas de retaliação contra servidores que entregaram irregularidades de Adail Filho, o Ministério Público instaurou inquérito civil para investigar possível prática de nepotismo na prefeitura da cidade.

Salário extrapola

Irmão do secretário de Administração da Prefeitura de Coari, Bruno Castilho foi contratado como médico para o Hospital Regional de Coari com um salário de R$ 39,3 mil, maior que o teto municipal baseado no salário do prefeito da cidade, que é de R$ 17 mil.

(*) Publicada, simultaneamente, na Coluna Claro&Escuro do Jornal Diário do Amazonas

Faça um comentário