US - R$ 4,08

×

“Negão não voltou”, diz Amazonino sobre especulações de candidatura

Em evento organizado pelo partido Podemos o ex-governador disse "deixem eu ser livre”, ao ser questionado se iria concorrer nas eleições municipais de 2020

(Carlos Bolívar/Amazonas1)

Com uma recepção calorosa e o público em coro gritando “o Negão voltou” e “volta, Negão”, o ex-governador Amazonino Mendes (sem partido), compareceu nesta quinta-feira, 19, a um evento sobre a Amazônia, organizado pelo partido Podemos (Pode), junto a representantes regionais e nacionais da sigla, compondo a bancada no Auditório Deputado Belarmino Lins na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

O encontro, que tinha como objetivo falar sobre projetos favoráveis à Amazônia, acabou se tornando um grande palco oportuno para questionar o ex-governador Amazonino sobre como ele levaria sua vida política e suas futuras pretensões para uma possível candidatura às eleições municipais de 2020. No evento, foi levantada até mesmo a cogitação de uma articulação para se filiar ao partido Podemos, mas em sua chegada o famoso “Negão”, disparou: “Vocês estão muito apressados.”

“Não vim responder perguntas políticas”, adiantou Amazonino, dizendo que foi apenas convidado a prestigiar um evento com tema favorável a seu discurso em defesa à Amazônia e completou: “Minha presença aqui é pra isso, o resto fique por conta de eventuais especulações.”

No encontro, Amazonino foi o último da bancada a falar e relembrou da época em que esteve preso no regime militar. “Meu crime foi querer dar uma vida melhor ao próximo, querendo que todos tivessem direito de qualidade de vida”. Ele ainda soltou: “Vocês apostaram de forma errada na eleição passada, gente nova é ideia nova, cabeça nova, proposta nova. Eu vim aqui render minha homenagem a uma esperança e ao futuro do nosso Estado.”

O ex-governador finalizou seu discurso dizendo: “Em respeito a essa história de que ‘o Negão voltou’, eu digo ‘não voltou’! Deixem o Negão curtir a liberdade, vocês me deram uma liberdade, agora deixem eu ser livre”, completou.

A presidente nacional do Podemos, Renata Abreu, aproveitou o momento caloroso em torno de Amazonino e o convidou para fazer parte do projeto do partido de “reerguer a política do Estado” e lhe propôs ser o “Embaixador do Partido”, mas o ex-governador desconversou sobre a proposta, riu e não respondeu.

Na bancada do evento estava o deputado estadual Wilker Barreto, presidente estadual do Podemos; o deputado federal Leo Morais, presidente estadual do Podemos de Rondônia; o secretário nacional das relações institucionais do partido, Bruno Ornelas; o secretário nacional de planejamento e coordenador da região Norte do Podemos, Murilo Oliveira; secretário nacional de assuntos jurídicos, Jorge Arthur; o deputado estadual Dermilson Chagas (PP), o deputado Adjuto Afonso (PP), o prefeito de Santa Isabel do Rio Negro, Careca; e o vice prefeito de Tabatinga, Plínio Cruz.

Fundado em 2017, o Podemos tem a segunda maior bancada do Senado Federal e, nesta quinta-feira, 19, o Partido Humanista da Solidariedade (PHS), incorporou-se e uniu-se ao partido, após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ter homologado a fusão dos dois partidos.

 

Faça um comentário