Wilson Lima diz que pode solicitar transferência de detentos do AM

US - R$ 4,34

×

Wilson Lima diz que pode solicitar transferência de detentos do AM

Os detentos do sistema penitenciário do AM podem estar ligados à guerra de facções criminosas envolvendo o Comando Vermelho (CV) e a Família do Norte (FDN).

O governador Wilson Lima (PSC) confirmou, na tarde desta quinta-feira, 13, que pode solicitar a transferência de detentos do sistema prisional do Amazonas que podem estar ligados à guerra de facções criminosas envolvendo o Comando Vermelho (CV) e a Família do Norte (FDN). A declaração foi feita após o chefe do executivo estadual ser questionado pela equipe de reportagem do Amazonas1 durante visita ao município de Careiro da Várzea.

Na segunda-feira, 10, o Governo instalou o Gabinete de Crise da Segurança Pública. A medida colocou todo o sistema de segurança em alerta, nas cadeias e nas ruas da cidade. Objetivo do Estado é se antecipar a qualquer tipo de distúrbio provocado por criminosos, em decorrência do intenso combate que o Governo vem executando contra o tráfico de drogas.

Segundo Lima, se houver necessidade de fazer transferência de detentos para presídios federais de segurança máxima, o Governo irá solicitar ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

Veja também: Governo instala Gabinete de Crise para antecipar conflitos entre facções criminosas

Sobre os possíveis nomes de detentos do sistema prisional que seriam suspeitos de serem os mandantes de mortes fora das penitenciárias, o governador informou que são informações que não serão reveladas por questões de segurança. “Mas estamos avaliando todas essas situações e todas essas possibilidades para que a gente possa manter o nosso sistema sobre controle”, disse Wilson.

‘Segurança no sistema’

Ainda segundo o governador, o Governo vem adotando medidas e acrescentando alguns protocolos de segurança para garantir a estabilidade do sistema. “Estou aqui com o representante do sistema prisional fazendo uma varredura e também, essa equipe está nos auxiliando na identificação desses internos que podem ser transferidos ou não para essas unidades de segurança máxima”, disse.

(*) Com colaboração do repórter Kleiton Renzo – Amazonas1

Faça um comentário