MENU
logo-amazonasum

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Doria pede aprovação da Coronavac para uso na Europa

Na carta, Doria diz que a aceitação da Coronavac por parte da União Europeia é fundamental para a normalização do fluxo de negócios e turismo
• Publicado em 03 de junho de 2021 – 06:00
Coronavac
Foto: Secom/SP

SÃO PAULO, SP – O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) pediu à Comissão Europeia e ao Parlamento Europeu que acelerem o pedido do uso da Coronavac em território europeu. A carta aos órgãos foi enviada na última terça-feira (1°), e divulgada nas redes sociais nesta quarta-feira (2).

Na carta, o governador diz que a Coronavac recebeu o aval de uso emergencial da Organização Mundial da Saúde (OMS). Doria pede que a Comissão Europeia faça a “mais ágil e segura análise” para a inclusão do imunizante do Instituto Butantan na lista das autorizadas.

Leia mais: OMS aprova uso emergencial da Coronavac contra Covid-19

“A medida é de decisiva importância para a normalização do fluxo de pessoas, de negócios e de turismo entre São Paulo e os países da Comunidade Europeia”, diz trecho da carta.

No documento, Doria ainda diz que o Instituto Butantan está à disposição da União Europeia, para fornecer estudos e documentos que atestam “o alto padrão da vacina produzida no Brasil”.

Leia a carta na íntegra

Carta assinada pelo governador Doria foi encaminhada à Comissão Europeia e ao Parlamento Europeu. Foto: Reprodução

“A aceitação da Coronavac, após análise dos órgãos competentes, será, também, um símbolo efetivo do compromisso que todos nós temos com a ciência, a saúde, a vida e o desenvolvimento integrado e solidário dos nossos povos”, finaliza o documento.

Aprovação emergencial

A Organização Mundial da Saúde aprovou, na terça-feira, o uso emergencial da Coronavac. Atualmente, a Europa não tem o imunizante fabricado em São Paulo na lista de vacinas aprovadas para uso. Somente as vacinas Comirnaty, da Pfizer, e Covishield, da Oxford-AstraZeneca, são usadas na Europa e no Brasil, simultaneamente.

Como resultado disso, brasileiros que foram imunizados com a Coronavac ainda não podem entrar no Velho Mundo. Além disso, a Europa também proibiu a entrada de voos do Brasil para o continente. A regra é que só estão autorizados a desembarcarem passageiros oriundos de países com taxa de casos abaixo de 75 por 100 mil habitantes. Atualmente, o Brasil tem uma taxa de 395 casos por 100 mil habitantes.

Coronavac

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap