US - R$ 4,08

×

Compadre Washington é acionado na Justiça por não pagar pensão

"Ele vem descumprindo o acordo judicial. Chegou a ficar devendo três meses", relatou Débora, mãe do filho de Washington

Compadre Washington foi acionado na justiça pela estudante Débora Souza, com quem teve um relacionamento que gerou um filho. A mãe do garoto, atualmente com 9 anos, relata que Compadre não está pagando a pensão de forma regular. A informação é da coluna da Fábia Oliveira, do jornal O Dia.

“O acordo foi que ele pagaria a pensão no valor de dois salários mínimos (R$ 1.996). Dentro desses dois salários, já vem incluso o valor do plano de saúde, que meu filho precisa porque sofre de problemas respiratórios. Só que ele vem descumprindo esse acordo. Chegou a ficar devendo três meses. Quando noticiei os atrasos uma vez, na internet, em um instante fizeram o depósito”, relatou Débora.

Ela também disse que está ocorrendo uma demora muito grande para o pagamento da pensão e isso complica sua vida. “Após ter noticiado, eles ficaram depositando de dois em dois meses. Agora, nesta quinta-feira ,10, vai completar mais de dois meses de atraso. Mesmo assim, quando depositam, não colocam o valor integral, apenas parcial. Ele vai depositando pela metade e isso gera multa. Além de prejudicar a vida do meu filho e, consequentemente a minha, porque era para nós dois está arcando, eu estou arcando sozinha”, revelou a estudante.

Após o nascimento do menino, em 2010, Compadre pagava cerca de R$ 300 de pensão por mês. Débora entrou na justiça e pediu um reajuste. Atualmente, ela recebe dois salários mínimos. “Primeiro eu registrei o menino. Depois, ele pediu o exame de DNA para comprovar a paternidade. Até então, ele se ‘portava’ como pai. Mas eu fiz enxoval, exames, tudo sozinha durante a gravidez”, contou Débora.

(*) Com informações do Metrópolis

Faça um comentário