US - R$ 3,84

×

Concursados da Susam vão substituir 240 temporários na prefeitura

RETs que prestam serviços na rede estadual e municipal de saúde serão dispensados no dia 1º de junho. Concursados da Susam serão cedidos para município


Com a exoneração de 500 temporários da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), o Governo do Amazonas e a Prefeitura de Manaus estão dialogando para evitar que a saída dos trabalhadores afete os serviços da rede estadual e municipal de saúde. A dispensa está marcada para o próximo dia 1º de junho.

Servidores serão dispensados em junho (Reprodução)

Em reunião entre o vice-governador do Amazonas e secretário-chefe da Casa Civil, Carlos Almeida; o secretário estadual de saúde, Rodrigo Tobias; secretários executivos da Susam; e o secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, ficou acordado que todos os convocados do concurso da Susam que se apresentarem além da quantidade mínima esperada pela Secretaria, serão cedidos ao município.

Veja também:

Temporários pedem tempo ao Governo ‘Não ocupamos vaga de ninguém’

500 temporários devem ser exonerados da Susam em junho

A chamada dos concursados para substituição dos temporários da rede estadual e os que trabalham no município, teve que se dar em abril devido à validade do concurso público de 2014, que terminou em 16 do mês passado. A medida atende uma determinação do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM).

Prefeitura realiza processo seletivo para substituir temporários

Segundo o secretário municipal de saúde, Marcelo Magaldi, a maior demanda por profissionais de saúde, que eram do Estado com contrato de serviço temporário, está em unidades da zona sul de Manaus.

São 240 trabalhadores temporários do Estado que terão que ser substituídos, como médicos, dentistas, pessoal de serviços gerais, agentes administrativos. Os servidores atuam em 21 Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

“Estamos chamando profissionais por processo seletivo e, além disso, estamos dialogando com o Estado para que parte seja substituída por concursados que a Susam convocou”, informou. Na última quinta-feira, 23, os selecionados começaram a se apresentar para preencher as vagas.

RETs pedem tempo ao Governo para ajustes

Os trabalhadores do quadro de Regime Especial Temporário (Rets) questionam a decisão do governo em dispensar os servidores no próximo mês e pedem tempo ao Estado.

Ao portal Amazonas1, o funcionário administrativo da UBS São Jorge, Luiz Cláudio Batista Melo, declarou que os funcionários precisam de tempo para se organizar. “A gente concorda que os temporários tem que sair para dar lugar aos concursados que estudaram para isso, mas pedimos que o Governo adiasse pelo menos até dezembro para a gente se organizar”, disse Cláudio, alegando que o Governo Estadual tomou a medida de “uma hora para outra”.

Já na rede estadual, uma das representantes dos Rets, Simone Oliveira, afirma que os servidores foram surpreendidos com decisão. “Muita gente depende desse emprego, fomos pegos de surpresa e a secretaria não nos comunicou nada oficialmente. A Susam afirma que os convocados vão ocupar nossas vagas, mas não vão. Até onde sabemos, eles querem contratar terceirizados. Pior que se nós sairmos, vamos sair sem direito a nada”, declarou.

DPE acompanha caso

A Defensoria Pública está acompanhando a situação dos Rets e esclareceu que a classe não tem direito à estabilidade, “mas à FGTS, saldo de salário e indenização por dano moral, caso demonstrem lesão a direitos”. Nesse caso, a instituição vai realizar a defesa individual de cada um.

No entanto, a prioridade do órgão será manter os serviços prestados à população em funcionamento, mesmo com a saída dos temporários.

Faça um comentário