Drogaria contraria campanha de abstinência e comercializa ‘Kit Carnaval’ no AM
25 de janeiro de 2021
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Drogaria contraria campanha de abstinência e comercializa ‘Kit Carnaval’ no AM

O valor do kit vai de R$ 4 a R$ 100 com itens que incluem camisinha, lubrificantes, bombons e até viagra

Drogaria contraria campanha de abstinência e comercializa ‘Kit Carnaval’ no AM
Contrariando campanha de abstinência, rede de drogarias comercializa ‘Kit Carnaval’ (Foto: Amazonas1)

Contrariando a companha do governo federal que promove a abstinência sexual no Carnaval como meio de prevenir as infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), a rede de drogarias FarmaBem, em Manaus, apostou no chamado “Kit Carnaval”, com itens que incluem preservativos para manter a clientela e contribuir para evitar o aumento de contaminações.

De acordo com funcionários da empresa, o “Kit Carnaval” virou sensação entre os consumidores que visitam as unidades do grupo e está sendo procurado, principalmente, pelos jovens com idade entre 14 e 18 anos.

Homens de todas as idades e casais idosos também têm buscado a novidade. A ideia surgiu depois da proposta da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, em parceria com o Ministério da Saúde e com o apoio do presidente Jair Messias Bolsonaro (Sem partido), ser anunciada e causar polêmica na internet. Segundo Damares, o programa tem o objetivo de evitar a gravidez na adolescência e não é loucura de “ministra fundamentalista”. O projeto chegou às ruas no dia 3 de fevereiro, no mês do Carnaval.

Contrariando campanha de abstinência, rede de drogarias comercializa ‘Kit Carnaval’

O valor do kit vai de R$ 4 a R$ 100 com itens que incluem camisinha, lubrificantes, bombons e até viagra (Foto: Amazonas1)

 

“Sabemos que essa proposta (de abstinência no Carnaval) foge à realidade da nossa época e principalmente da população. Além de manter os clientes, queremos fazer um alerta sobre as ISTs de forma descontraída”, disse Rayane de Souza, funcionária da drogaria do bairro Parque 10, da zona Centro-Sul de Manaus.

O valor do kit vai de R$ 4 a R$ 100 com itens que incluem camisinha, lubrificantes, bombons e até viagra. A vendedora destacou ainda que a campanha do governo aguçou ainda mais a procura pelas camisinhas.

Conforme a revendedora da farmácia do bairro Parque 10, da zona Centro-Sul de Manaus, Rayane de Souza, a campanha do governo aguçou ainda mais a procura pelas camisinhas. “Tivemos muita procura no período pré-Carnaval e durante as festas”, destacou Rayane.

A drogaria fica localizada na avenida Tancredo Neves, e está aberta de 8h às 23h. O kit está disponível na recepção do estabelecimento. Por R$ 7, você consegue comprar dois preservativos das marcas Elite e Olla, com um Trident de brinde. Por outros valores, o cliente também pode comprar os pacotes com camisinhas de diversas marcas, como Jontex e Prudence.

A campanha

De acordo com o governo, a campanha por uma “iniciação sexual não precoce”, é oriunda de estudos científicos e quer mostrar aos jovens os benefícios de adiar o início da vida sexual. O projeto também faz parte de uma lei sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, que instituiu a Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência, em que, todos os anos, ações na primeira semana de fevereiro devem ser realizadas para divulgar informações sobre medidas preventivas e educativas que contribuam para a redução da incidência da gravidez na adolescência.

Jair Bolsonaro e Damares Alves (Divulgação)

Jair Bolsonaro e Damares Alves (Divulgação)

Em entrevista a Revista Veja, a ministra Damares destacou que a lei promulgada por Bolsonaro abriu espaço dentro do governo para criação de novas ações que incluam a abstinência sexual, com o objetivo de reduzir a taxa de adolescentes grávidas. “Isso nos impulsionou a buscar experiências, a tentar alternativas para mudar o que está aí hoje. A proposta de retardar a medida da iniciação sexual é o novo, é a nova proposta. E nunca foi tentada aqui”, disse Damares a VEJA.

No entanto, devido ao período, em que as escolas estão em recesso com a proximidade do Carnaval, Damares e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, cogitaram a possibilidade de mudar a data da Semana Nacional de Prevenção à Gravidez Precoce para o mês de junho, devido ao Dia dos Namorados. 

Elogios

O presidente Bolsonaro elogiou a ministra Damares Alves e o programa e criticou o modo como governos anteriores lidaram com a gravidez precoce. “Quando ela fala em abstinência sexual, esculhambam ela. Eu tenho uma filha de 9 anos. Você acha que eu quero ter a minha filha grávida no ano que vem? Não tem cabimento isso aí”, comentou.

Para o presidente, a redução da verba destinada a políticas para mulheres neste ano se justiça devido as mudanças de posicionamento e comportamento que são tão importante quanto dinheiro. “A Damares está sendo 10 nesta questão. Está fazendo um trabalho bonito na Ilha de Marajó. Lá, você tem o pai que é pai e avô, ou seja, ele engravida a própria filha”, disse.

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading