Maratona de tecnologia vai criar aplicativos para ajuda humanitária

Denúncias, sugestão de matérias e outros assuntos

10 de agosto de 2020
Site auditado pelo
Manaus
23oC  33oC
Buscar

Redes Sociais

redacao@amazonas1.com.br

Maratona de tecnologia vai criar aplicativos para ajuda humanitária

O Human Hackfest vai congregar a programação Hacker e as causas humanitárias no Manaus Tech Hub, nos dias 13, 14 e 15 de dezembro de 2019

Maratona de tecnologia vai criar aplicativos para ajuda humanitária
(Foto: Divulgação/Maria Mariana - ASCOM MPAM)

O Human Hack Fest vai juntar a programação hacker e as causas humanitárias no Manaus Tech Hub, nos dias 13, 14 e 15 de dezembro de 2019, em uma maratona tecnológica para desenvolver aplicativos para a ajuda humanitária, em Manaus. 

O evento é gratuito e aberto para estudantes, profissionais e membros da sociedade em geral. Para participar não precisa ser especialista na área de tecnologia. Para mais informações acesse o site do evento.

O Human Hack Fest Manaus 2019 é uma maratona de programação para desenvolvimento de aplicativos voltados para a ajuda humanitária aos refugiados que se encontram na cidade de Manaus.

O evento foi lançado, oficialmente, na terça-feira, 03, no auditório da Manaus Tech Hub, no bairro Armando Mendes, zona Leste de Manaus. 

A expectativa dos organizadores, o Ministério Público do Amazonas (MPAM) e a Manaus Tech Hub, é que sejam formadas de dez a 12 equipes, cada uma com dez programadores.

No mês de fevereiro de 2020, cinco projetos serão selecionados e desse grupo sairão os três finalistas e a grande vencedora. 

O Hack Fest é um evento que começou na Paraíba e é realizado em várias regiões do Brasil pelo Ministério Público. Em Manaus, o MPAM realizou a primeira edição no ano passado, com a trilha de “Combate a Corrupção”. 

O MPAM realizou a primeira edição no ano passado, com a trilha de “Combate a Corrupção”(Foto: Divulgação)

“A edição desse ano integra profissionais da área de desenvolvimento de softwares e movimentos sociais, ONGs que ajudam os venezuelanos a se estabelecerem em Manaus. É um momento para esquecer um pouco de si próprio e buscar projetos para ajudar pessoas menos favorecidas”, explicou o Subprocurador-Geral de Justiça para Assuntos Administrativos, Mauro Veras.

O procurador disse considerar que o evento é, também, uma oportunidade para construir o relacionamento entre o MPAM e a sociedade amazonense. Segundo ele, existe um grande desconhecimento da população sobre o Ministério Público em geral.

 “Grande parte da população nem sabe o que é o Ministério Público e o promotor de Justiça, alguns até conhecem aquele promotor que atua no Júri, mas desconhecem a atuação do promotor que defende a sociedade e, sobretudo, as parcelas mais carentes da população”, disse Mauro Veras.

O especialista em comunidade Santhyago Gallão, do Sidia Instituto de Ciência e Tecnologia, empresa que mantém o Manaus Tech Hub, explicou que as maratonas de programação, os hackatons, se caracterizam por um grande esforço de trabalho desenvolvido por grupos grandes de programadores, que possibilitam trabalho ininterrupto, por revezamento. 

“O Manaus Tech Hub cederá o espaço e mentores para as equipes. Também é muito provável que, entre os participantes das estejam alguns membros do Sidia”, disse.

 

(*) Com informações da assessoria

Amazonas1 TV

Publicado por Amazonas1

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading