US - R$ 3,91

×

Professores da UEA param aulas nesta quarta-feira


O Sindicato dos Docentes da UEA confirmou a paralisação dos serviços nesta quarta-feira, 14. O descumprimento do Plano de Cargos, Carreira e Remunerações (PCCR), perdas salariais acumuladas e à dificuldade de negociação com o Governo, são algumas das reivindicações da categoria.

A decisão foi tomada em Assembleia Geral Extraordinária do Sindicato dos Docentes da UEA (SIND-UEA), na última sexta-feira, 9. 

(Foto: Reprodução)

A programação está prevista para iniciar às 9h, na Escola Normal Superior (ENS), na Zona Centro-Sul de Manaus. Às 10h, o grupo segue para a Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) onde participaM de Audiência Publica que vai discutir as demandas dos docentes.

Sobre a manifestação, a UEA se manifestou por meio de nota. Leia na íntegra: 

A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) informa que as atividades acadêmicas nesta quarta-feira (14) não sofrerão prejuízos, apesar do anúncio do Sindicato dos Docentes da instituição (SIND-UEA) em realizar paralisação nesta data. Todas as unidades também irão manter os serviços essenciais, que incluem os trabalhos de secretaria e protocolo, por exemplo.

A UEA respeita a decisão tomada no último dia 9 de março durante assembleia promovida pelo SIND-UEA, onde ficou aprovada por apenas oito votos a paralisação no dia 14 deste mês. Faz-se importante destacar que o efetivo que deliberou pela paralisação representa menos de um por cento (0,7%) do total de 1.058 professores que compõem o quadro de docentes da instituição, tanto em Manaus quanto no interior do Estado do Amazonas.

O novo Governo do Amazonas, que assumiu em outubro do ano passado, tem promovido, com planejamento e ajustes nas contas públicas, melhorias aos servidores da UEA. Em dezembro passado, os professores e técnicos servidores da instituição receberam a remuneração referente às promoções horizontais e verticais, bem como de conclusão de estágio probatório. Foram beneficiados com a medida 1.091 servidores, sendo 789 professores e 293 técnicos-administrativos. Alguns dos servidores esperavam desde 2015 pelo benefício.

Também fruto da reorganização das finanças públicas, o novo governo pagou o escalonamento de 2017, em fevereiro deste ano, e programou o pagamento da Gratificação de Produtividade Acadêmica (GPA) para a partir do mês de março deste ano, quando retornam os projetos e bolsas que estavam parados.

 

Faça um comentário