MENU
logo-amazonasum

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

PF cumpre seis mandados de prisão temporária em Manaus

Além do mandado de prisão do secretário de Saúde, Marcellus Campelo, mais cinco pessoas também podem ser presas em Manaus
Edilânea Souza – Portal AM1
• Publicado em 02 de junho de 2021 – 12:26
Foto: Márcio Silva Portal AM1_Mandados prisão temporária
Foto: Márcio Silva Portal AM1_PF cumpre mandados de prisão temporária em Manaus

MANAUS, AM – A Polícia Federal cumpre seis mandados de prisão temporária, pelo prazo de cinco dias, em desfavor do secretário estadual de Saúde, Marcellus José Barroso Campelo, de empresários e funcionários das empresas investigadas na Operação Sangria.

Entre os nomes que aparecem no mandado de prisão temporária, estão: Rafael Garcia da Silveira, Sérgio José Silva Chalub, Frank Andrey de Abreu, Carlos Henrique Alecrim John e Nilton Costa Lins Júnior. Além de Manaus, a PF também faz buscas e apreensões em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Os mandados foram expedidos pelo ministro Francisco Falcão, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Além dos pedidos de prisão temporária, a Polícia Federal também cumpre dezenove de buscas e apreensões.

Durante coletiva de imprensa, o superintendente da Polícia Federal no Amazonas, delegado Leandro Almada, disse que um dos mandados ainda não foi cumprido, no caso o do atual secretário de saúde do Amazonas, Marcellus Campelo.

Leandro Almada disse ainda, que em uma das residências visitadas pela PF na manhã desta quarta-feira, no caso do empresário Nilton Costa Lins Júnior, os policiais que atuavam no cumprimento dos mandados foram recebidos a tiros e que a arma foi apreendida para ser periciada. Ainda segundo o delegado, o empresário também será investigado por tentativa de homicídio e disparo por arma de fogo.

Leia mais: Investigados na Operação Sangria podem responder por organização criminosa

A quarta fase da operação investiga supostos crimes de fraude em licitação e desvio de verbas federais destinadas ao enfrentamento da Covid-19, no Amazonas durante a instalação do hospital de campanha, além de irregularidades na prestação dos serviços de limpeza e lavanderia na unidade hospitalar.

Foto: Márcio Silva Portal AM1_Mandados prisão temporária

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap