Advogadas não vêem Alejandro Valeiko como principal acusado por homicídio

US - R$ 4,09

×

Advogadas não vêem Alejandro Valeiko como principal acusado por homicídio

Segundo as advogadas da família de Flávio Rodrigues dos Santos, o resultado do inquérito policial agrada os parentes do engenheiro

(Márcio Silva/ Amazonas1)

Geysa Mitz Guimarães e Náiade Perrone, advogadas da família do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos, 42, encontrado morto no dia 30 de setembro de 2019, no bairro Tarumã, na Zona Oeste de Manaus, concederam entrevista coletiva pela primeira vez na manhã desta segunda-feira, 02, após o fim do inquérito que investiga o caso e disse que não elege Alejandro como o principal autor pelo homicídio.

Segundo a advogada Geysa Mitz Guimarães, a acusação está satisfeita com relação as diligências que foram realizadas pela polícia, mas criticou a não participação dos advogados de defesa dos acusados na reconstituição do crime, no dia 18 de novembro de 2019, quase dois meses depois do ocorrido.

Flávio Rodrigues foi assassinado na noite de 29 de setembro deste ano (Foto: Divulgação)

Questionada sobre algumas contradições da defesa de Valeiko sobre Flávio ter saído vivo da casa, a advogada Geysa destacou que isso é um fato que ainda não se pode confirmar em razão de ter sido encontrado sangue de Flávio em um objeto na casa.

Durante a reconstituição do dia 18, alguns pares de sapato foram apreendidos, que seriam de Alejandro e de Flávio. Segundo a advogada, quando contestado de quem eram os sapatos, Vittorio Del Gatto informou que seria de Alejandro, mas após a perícia realizar exame de DNA por meio de sangue obtido no objeto, foi confirmado de que um deles era do engenheiro Flávio.

“Na ocasião da apreensão de alguns sapatos, um dos nossos advogados acompanhou a perícia dentro da casa, viu o momento da apreensão. Os outros advogados não tiveram o mesmo interesse em entrar e causa estranheza que agora eles venham dizer como que foram encontrados esses sapatos, por quem e em que momento. Eles não estavam no interior da casa porque eles não quiseram, pois foi franqueada a presença dos advogados tanto da família quanto dos acusados”, diz Geysa. 

Sobre Alejandro

Sobre a participação de Alejandro no crime, a advogada destacou que a defesa não o vê como o autor do homicídio e que acredita no trabalho da polícia que o indiciou por não ter evitado o crime.

“Não elegemos o Alejandro como o autor do homicídio. Durante todo esse tempo, nós advogados da vítima permanecemos com vocês (imprensa) de forma informal, mas não demos entrevista, não falamos com a imprensa, nos resguardamos justamente para não atrapalhar as investigações. Não apontamos o Alejandro como culpado de forma alguma, isoladamente, como muitos falam. Mas acreditamos e confiamos no trabalho realizado pela polícia e com certeza, se ele foi indiciado, ele tem participação, porque a polícia foi muito diligente em apurar todos os fatos ocorridos”, relata.

Para a defesa, não há principal acusado. Todos participaram de forma ativa para a morte do Flávio, segundo a advogada. “Hoje nós aguardamos o posicionamento do Ministério Público com relação ao inquérito para que nós passemos a nos habilitar como assistente de acusação”, destaca.

Faça um comentário