Homem é preso por fingir ser funcionário de concessionária de água

Denúncias, sugestão de matérias e outros assuntos

4 de agosto de 2020
Site auditado pelo
Manaus
23oC  33oC
Buscar

Redes Sociais

redacao@amazonas1.com.br

Homem é preso por fingir ser funcionário de concessionária de água

Rogério Abreu de Araújo, 35, foi preso por estelionato e associação criminosa. Também foram cumpridos contra ele dois mandados de busca e apreensão

Homem é preso por fingir ser funcionário de concessionária de água
FOTO: Alailson Santos/ PC-AM

A operação “Lisc” culminou no cumprimento do mandado de prisão preventiva em nome de Rogério Abreu de Araújo, 35, por estelionato e associação criminosa, além do cumprimento de dois mandados de busca e apreensão pela equipe de investigação da Delegacia Especializada em Combate ao Furto de Energia, Água, Gás e Serviços de Telecomunicações (DECFS) nesta quarta-feira, 04. O infrator se passava por funcionário da empresa de abastecimento de água da capital, para exigir dinheiro de clientes.

O delegado Paulo Benelli, titular da DECFS, apresentou um balanço da operação, que contou com o apoio de policiais civis do 16° Distrito Integrado de Polícia (DIP) e do 22° DIP. Conforme a autoridade policial, a ação teve o intuito de desarticular uma organização criminosa que estava em atividade desde o início do ano. O grupo era formado por Harlison Araújo Pinto, 26, e Rogério Abreu de Araújo, 34, ex-funcionários da empresa. E, o terceiro integrante, está com a identidade sob investigação.

“As investigações em torno desse caso tiverem início depois que representantes da concessionária procuraram a especializada para formalizarem a denúncia. Na ocasião, eles nos comunicaram que indivíduos, portando materiais de expedientes (formulários para autuação e cobrança de supostos débitos), uniformes e crachás da empresa, compareciam às casas de consumidores e exigiam, indevidamente, valores dos mesmos, alegando que, quem não efetuasse o pagamento iria ter o fornecimento de água interrompido. Os valores variavam entre R$ 100 e R$ 500,” informou o delegado.

De acordo com Benelli, os alvos preferidos dos infratores eram residências localizadas no bairro Armado Mendes, na zona leste da capital. Ainda segundo o delegado, Harlison já foi preso em janeiro de 2018, após entrar em residências, também, se passando por funcionário da concessionária, para roubar as vítimas. No entanto, o infrator já está em liberdade e encontra-se foragido.

Paulo informou que a ordem judicial em nome de Rogério foi expedida no dia 28 de novembro deste ano, pela juíza Lina Marie Cabral, da Vara da Central de Inquéritos Policiais. Rogério foi preso na casa dele, situada no bairro Novo Aleixo, zona norte da capital. No local foram apreendidos equipamentos utilizados para troca de tubulações de fornecimento de água. O delegado disse que as diligências em torno desse caso irão continuar até que Harlison e o terceiro membro do grupo sejam presos pela participação no esquema.

Disque-denúncia

O titular da DECFS pede a colaboração das pessoas que tenham sido vítimas da ação criminosa, que entrem em contato por meio do número (92) 3622-7837, o disque-denúncia da especializada. Além de qualquer informação do paradeiro de Harlison.

Nota da concessionária

Em nota à imprensa, a concessionária Águas de Manaus manifestou apoio às investigações e orientou a população que procure uma unidade da Polícia Civil para o registro de denúncia em casos semelhantes a este. Por fim, a empresa destacou que não realiza qualquer tipo de cobrança na porta das residências dos cliente.

Procedimentos

Rogério foi indiciado por estelionato e associação criminosa. Ao término dos procedimentos cabíveis no prédio da especializada, o indivíduo será levado para audiência de custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, bairro São Francisco, zona sul da cidade.

 

(*) Com informações da assessoria

Amazonas1 TV

Publicado por Amazonas1

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading