Mãe de bebê estuprada conta à polícia que ouvia vozes
A + A -

Denúncias, sugestão de matérias e outros assuntos

6 de junho de 2020
Site auditado pelo

Redes Sociais

[email protected]

Mãe de bebê estuprada conta à polícia que ouvia vozes

A mãe foi conduzida para um centro de atendimento psicológico para ser medicada.

Mãe de bebê estuprada conta à polícia que ouvia vozes
(Divulgação)

Com sinais de esquizofrenia, uma mulher de 41 anos, mãe de uma criança de um ano e um mês que morreu na manhã de quarta-feira, 20, em um shopping na Zona Leste de Manaus, contou à polícia em depoimento com acompanhamento de uma psicóloga que ouvia vozes e, que já tinha sido estuprada.

(Divulgação)

O depoimento foi acompanhado pela delegada Joyce Coelho, titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca). De acordo com a autoridade policial, a mãe da criança sofre de esquizofrenia e, está há meses sem tomar medicamentos.

Veja também:

Criança sofre estupro e morre dentro de posto do Ministério Público

Criança com Síndrome de Down sofreu vários estupros, revela exame

“Ela fala coisas desconexas e, disse ouvir tais vozes. Durante a conversa com acompanhamento de uma psicóloga, ela conta que já foi abusada sexualmente, mas não cita que a voz manda fazer. Estamos ouvindo depoimentos de familiares, pois todos os depoimentos serão protocolados ao inquérito policial. Até o momento, não temos nenhum suspeito”, garantiu a delegada Joyce Coelho ao Amazonas 1.

Entenda o caso

A pequena Sarah Raquel Melo de Oliveira, de um ano e um mês, morreu, por volta das 10h de quarta-feira (20) nas dependências do Ministério Público do Amazonas (MP-AM), situado em um shopping na avenida Autaz Mirim, no bairro Tancredo Neves, na Zona Leste de Manaus.

De acordo com a delegada Joyce Coelho, titular da Depca, a criança com síndrome de down chegou no colo da mãe praticamente sem vida com quadro de pneumonia. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionado, mas o bebê não resistiu.

“A criança chegou com grave problema de saúde no prédio do Ministério Público. Além do quadro de pneumonia, ela era cardiopata. Na ocasião, a mãe dizia a todo o momento que a filha havia sido estuprada. O laudo do Instituto Médico Legal confirmou a violência sexual, mas os abusos já aconteceram algum tempo. A causa da morte ainda não foi confirmada. Estamos investigando para elucidar o caso”, explicou a delegada Joyce Coelho.

A mãe foi conduzida para um centro de atendimento psicológico para ser medicada. Ela deve prestar um novo depoimento em torno do caso.

Amazonas1 TV

Publicado por Amazonas1

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias