MP abre inquérito para investigar morte de Flávio Rodrigues

US - R$ 4,19

×

MP abre inquérito para investigar morte de Flávio Rodrigues

Engenheiro foi encontrado morto no último dia 29 de setembro em um terreno baldio, no bairro Tarumã

Engenheiro foi encontrado morto em um terreno baldio. (Reprodução)

O crime que ocasionou na morte do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos, no dia 29 de setembro, está agora sob investigação do Ministério Público do Amazonas (MP-AM), que instaurou procedimento investigatório criminal para apurar, também, as demais condutas conexas na ação.

A portaria de instauração foi publicada nesta segunda-feira, 21, no Diário Oficial do órgão ministerial, pelo promotor de Justiça, Igor Starling Peixoto, titular da 16ª Promotoria de Justiça da Capital, que atua na 2ª Vara do Tribunal do Júri e que está acompanhando as investigações.

Igor foi designado no dia 7 de outubro, pela Procuradora-Geral de Justiça (PGJ), Leda Mara Nascimento Albuquerque, para acompanhar os procedimentos policiais junto à Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), referentes ao assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues.

Sigilo

Apesar do caso ter ganhado relevância no cenário nacional, o promotor decretou sigilo no procedimento, “haja vista que a publicidade dos atos de investigação podem acarretar prejuízo ao interesse público e à própria apuração, que consiste exatamente em aferir a conduta dos investigados”, diz o documento.

Caso Flávio

O engenheiro Flávio Rodrigues foi assassinado com seis estocadas na noite de domingo, 29 de setembro, quando participava de uma festa na residência de Alejandro Valeiko, num condomínio do bairro Ponta Negra, Zona Oeste da cidade.

O corpo de Flávio foi encontrado na manhã de segunda-feira, 30, num terreno próximo a uma comunidade no bairro Tarumã. A família acusa Alejandro de ser autor do crime e refuta a hipótese de que ele era usuário de drogas e que foi morto por traficantes que lhe cobravam dívidas de drogas.

Presos

Alejandro Valeiko, José Edvandro Martins de Souza Junior, 31, Elielton Magno de Menezes Gomes, 22, o chefe de cozinha, Vitorio Del Gatto, que morava na residência, além do policial militar que trabalhava na Prefeitura de Manaus, Elizeu da Paz de Souza e o lutador de MMA, Mayc Paredes, foram presos suspeitos de envolvimento na morte do engenheiro.

Confira a publicação:

 

 

Faça um comentário