Operador de máquinas esmaga cabeça de colega dentro da empresa

US - R$ 4,13

×

Operador de máquinas esmaga cabeça de colega dentro da empresa

O crime aconteceu por volta das 2h30, dentro de uma fábrica de produtos recicláveis situado na Alameda Cosme Ferreira, no bairro Colônia Antônio Aleixo.

De acordo com o delegado Paulo Martins, titular da DEHS, Laércio relatou, em depoimento, que há algum tempo ele é Jelmires vinham discutindo. (Foto: Josemar Antunes/Amazonas1)

“Eu tive medo e raiva. Ele falava que iria me matar e por isso eu matei. Mas eu estou arrependido do que fiz”. Foram com essas palavras que o operador de máquinas Laércio Monteiro de Oliveira, 24, argumentou sobre o assassinato do colega de trabalho Jelmires da Rocha Solto, 51.

O crime aconteceu por volta das 2h30, dentro de uma fábrica de produtos recicláveis situado na Alameda Cosme Ferreira, no bairro Colônia Antônio Aleixo, na zona Leste. Jelmires e Laércio trabalhavam na mesma empresa.

Após o crime, Laércio foi preso por volta das 3h, na residência dele, na rua do Igarapé, no bairro Armando Mendes, também na zona Leste. Ele confessou o assassinato e atribuiu o motivo por ameaça que recebia da vítima.

De acordo com o delegado Paulo Martins, titular da DEHS, Laércio relatou, em depoimento, que há algum tempo ele e Jelmires vinham discutindo.

“O Jelmires ameaçava que iria falar para o patrão que Laércio dormia na máquinas no horário de trabalho. Laércio aproveitou o sono do colega para matar a golpes de pauladas. Ele utilizou um pilão para desferir dois golpes na cabeça de Jelmires, que morreu nas dependências da empresa. Como se nada tivesse acontecido, Laércio voltou para o posto de trabalho. O corpo da vítima foi encontrado por outro funcionário da empresa”, explicou o delegado Paulo Martins.

Na versão apresentada no local do crime, Laércio disse que não sabia do assassinato, por trabalhar com máquinas pesadas e ruídos muito alto.

Mas sua versão foi contrariada por um adolescente de 17 anos, que afirmou ter presenciado Laércio cometendo o crime.

À imprensa, Laércio afirmou que tinha medo e raiva de Jelmires. Segundo ele, a vítima ameaçava denunciar o ao dono da empresa que ele dormia durante o horário de trabalho. Por conta disso, Laércio afirmou que contaria para o patrão que Jelmires desviava produtos da empresa.

“Passou pela minha cabeça medo e raiva. Eu tinha receio de ele me matar. Jelmires ficava me ameaçando e por isso matei. A minha raiva dele era que eu nunca tinha dedurado ele para o patrão, mas ele fazia questão de contar que eu dormia na maquina. Mas eu estou muito arrependido”, disse Laércio à imprensa.

Laércio foi autuado em flagrante por homicídio. Ele será apresentado na audiência de custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, no bairro São Francisco, na zona Sul da capital, onde o juiz deve determinar pela prisão ou liberdade

Faça um comentário