Mulheres se unem em vídeo exigindo respeito a Bolsonaro após novo ataque misógino

Denúncias, sugestão de matérias e outros assuntos

2 de julho de 2020
Site auditado pelo
Manaus
23oC  33oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Mulheres se unem em vídeo exigindo respeito a Bolsonaro após novo ataque misógino

Para elas, o ataque de Bolsonaro contra a jornalista Patrícia Melo, não foram apenas uma falta de respeito à profissional, mas um ataque à democracia.

Mulheres se unem em vídeo exigindo respeito a Bolsonaro após novo ataque misógino

Mulheres cis e trans, artistas de todos os segmentos, se reuniram em vídeo para exigir respeito contra as declarações que o presidente da república, Jair Bolsonaro, disse na última terça-feira, 18, à jornalista Patrícia Campos Mello. Para elas, as palavras não foram apenas uma falta de respeito à profissional, mas um ataque à democracia. Veja abaixo o vídeo da campanha.

A jornalista Patrícia Campos teve a honra atacada por Bolsonaro em novo episódio de misoginia do presidente. É dela uma reportagem que mostrou o impulsionamento de mensagens em massa contra o PT durante as eleições de 2018. Desde então a jornalista entrou no radar do clã Bolsonaro e sua milícia virtual.

Conteúdo #342

O grupo artístico de conteúdo #342 divulgou em suas redes sociais nessa tarde um vídeo produzido por Paula Lavigne, onde várias artistas e influenciadores do meio cultural se manifestaram contra o assédio sofrido pela repórter.

Entre elas estão: Sophie Charlote, Débora Nascimento, Cláudia Abreu, Zélia Ducan, Mônica Benicio, a atriz Majur, Júlia Lemmertz, Fernanda Lima, Aline Moraes, a jornalista Milly Lacombe, entre outras. Todas afirmam que “Bolsonaro não pode mais seguir quebrando o decoro de forma impune”

A atriz Cláudia Abreu afirma que as “mulheres da sociedade civil nos perguntamos, será que estamos vivendo mesmo uma democracia?”. “Não iremos tolerar mais ataques à liberdade de imprensa e à democracia”, afirma Paula Lavigne, produtora do vídeo.

Aline Moraes diz que o grupo apoia toda e qualquer mulher ofendida por Bolsonaro. “Apoiamos Patrícia Campos e todas as mulheres que foram ofendidas por ele”, declara.

CPI das Fake News

Na última terça-feir, Bolsonaro disse, ao sair do Palácio da Alvorada: “Ela [a repórter] queria um furo. Ela queria dar o furo a qualquer preço contra mim”. Ao final da declaração, o presidente da república deu risadas, acompanhado por seus fãs. E continuou: “E outra, se você fez fake news contra o PT, menos com menos dá mais na matemática, se eu for mentir contra o PT, eu tô falando bem, porque o PT só fez besteira”.

Bolsonaro se referia ao depoimento calunioso de Han River à CPI das Fake News e a piada feita em vídeo no Youtube pelo grupo de humor “Hipócritas”. No vídeo, uma prostituta aborda um motorista, que pede “um furo de reportagem, uma fake news”.

Veja o vídeo da campanha:

Amazonas1 TV

Publicado por Amazonas1

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias