Diretor terá de explicar apagões, cortes e cobranças indevidas na CPI da Amazonas Energia

Denúncias ao MP, Procon e Defensoria revelam insatisfação do amazonense com a empresa
Publicado em 16/11/2021 13:21

MANAUS, AM – Instaurada no início do mês de outubro, a CPI da Amazonas Energia deve ouvir o depoimento do Diretor Técnico do Interior da Amazonas Energia, Radyr Gomes, nesta terça-feira (16). A expectativa é que Radyr justifique as supostas irregularidades cometidas pela concessionária.

A CPI da Amazonas Energia busca investigar as causas de apagões nos municípios do Amazonas, cortes indevidos de energia e cobranças irregulares de tarifas.

Leia mais: Cidade sem estrutura, Manaus sofre com fortes chuvas deste domingo

Até agora, a CPI evidenciou que a concessionária descumpre leis estaduais e abusa do poder em relação à população, conforme explicou o presidente da CPI, Sinésio Campos (PT).

“Com base nas denúncias apresentadas pelo Ministério Público, Procon e Defensoria Publica, além dos demais órgãos de controle e fiscalização, fica claro que a Amazonas Energia presta um desserviço à sociedade. A companhia não cumpre as leis estaduais feitas neste Casa, retira contadores, desrespeita a população e o principal: deixa de fornecer energia para o cidadão, mas faz cobranças indevidas!”, comentou.

Para o depoimento de Radyr, a expectativa da CPI é que o diretor apresente explicações sobre as irregularidades denunciadas pelos órgãos de controle.

“Essa é a primeira vez que nós vamos ouvir, de fato, a Amazonas Energia. Não tem como negar, vários serviços não foram prestados e irregularidades foram cometidas. Há diversas denúncias. Então, agora, nós queremos entender os motivos que levaram esses casos a acontecerem. A Amazonas Energia precisa se explicar”, disse Sinésio.

Nesta semana, a CPI deve ouvir ainda os depoimentos de membros do Ministério Público e cidadãos que tiveram conflitos com os serviços prestados pela Amazonas Energia.

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter

Compartilhar:
Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.