MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Ex-assessor de Pazuello, Airton Cascavel se torna réu em caso de estupro de vulnerável

A criança esteve na casa do ex-assessor durante um fim de semana e quando voltou para casa se queixou de dores nas partes íntimas
Da Redação – Portal AM1*
• Publicado em 24 de setembro de 2021 – 20:00
Ex-assessor de Pazuello, Airton Cascavel se torna réu em caso de estupro de vulnerável
Foto: Reprodução / TV Senado

RORAIMA, RR – Ex-deputado e ex-assessor de Eduardo Pazuello no Ministério da Saúde, quando ministro, Airton Antônio Soligo , 57 anos, mas conhecido como Airton Cascavel se tornou réu em caso de estupro de vulnerável cometido há uma criança da própria família do ex-assessor.

A denúncia foi feita pela mãe da criança no último dia 14 de setembro, no Núcleo de Proteção à Criança e Adolescente (NPCA) da Polícia Civil do Estado de Roraima (RR) e a decisão de tornar réu o empresário saiu, nessa quinta-feira (23), proferida pelo juiz substituto Nildo Inácio, da Vara de Crimes Contra Vulneráveis, em Boa Vista.

Segundo relatos da mãe, a criança havia ido a uma festa na casa do possível estuprador, entre 11 e 12 de setembro, e voltou para casa “reclamando de dores nas partes íntimas”.

No dia 21, o Ministério Público de Roraima já havia denunciado o empresário na Justiça, que acatou a denúncia baseada no artigo 217-A do Código Penal, combinado com o artigo 226, que prevê aumento da pena em razão do acusado ser parente da vítima, decretando segredo de Justiça na ação.

Leia mais: Deputados de Roraima são denunciados por desviar mais de R$ 1 mi

Defesa

Com base na denúncia da mulher, a defesa de Cascavel entrou na Justiça com um pedido de habeas corpus preventivo a fim de evitar uma eventual prisão. O pedido de liberdade foi protocolado no domingo (19) no Núcleo de Plantão Judicial e Audiências de Custódia.

No pedido, o advogado acusa a mãe da criança de fazer “denunciação caluniosa” e que a acusação “ganhou dimensão nas redes sociais, transformando-se no principal assunto da mídia eletrônica e de Boa Vista pelo fato de o acusado ser pessoa pública”.

(*) Com informações G1

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap