Ex-presidente francês Nicolas Sarkozy é condenado à prisão por subornar juiz - Amazonas1
21 de abril de 2021
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Ex-presidente francês Nicolas Sarkozy é condenado à prisão por subornar juiz

Sarkozy teria tentado obter informações secretas do 'caso Bettancourt' por meio do juiz Gilbert Azibert

Ex-presidente francês Nicolas Sarkozy é condenado à prisão por subornar juiz
Foto: Moritz Hager / Divulgação

O ex-presidente francês Nicolas Sarkozy (2007-2012) foi condenado nesta segunda-feira (1º) a três anos de prisão, um deles em regime fechado, por corrupção e tráfico de influência.

O tribunal de Paris decidiu que houve um “pacto de corrupção” entre o presidente de 66 anos, seu advogado Thierry Herzog e o ex-magistrado Gilbert Azibert, que foram condenados à mesma sentença.

Segundo os investigadores, algumas das conversas revelaram a existência de um pacto de corrupção. Junto com seu advogado, Thierry Herzog, Sarkozy teria tentado obter informações secretas do “caso Bettancourt” por meio do juiz Gilbert Azibert.

O caso envolve a herdeira bilionária da L’Oréal, Liliane Bettencourt. Sarkozy foi acusado de ter se aproveitado de sua senilidade mental para obter doações acima do teto legal e financiar sua campanha presidencial de 2007. A denúncia contra o ex-presidente nesse processo foi arquivada em 2013.

Leia mais: Governo britânico lança ‘caçada’ para achar portador de variante brasileira

Azibert também teria tentado influenciar o julgamento de seus colegas magistrados. Em troca, Sarkozy teria prometido ajudá-lo a conseguir um cargo altamente cobiçado no Conselho de Estado de Mônaco.

Os promotores descobriram o caso ao espionar conversas telefônicas de Sarkozy com seu advogado, Herzog, depois que ele havia deixado a Presidência, enquanto investigavam outra acusação, a de que ele teria recebido recursos da ditadura líbia de Muammar Gaddafi para financiar a campanha eleitoral que o levou à Presidência, em 2007.

Sarkozy diz ser inocente e ressalta que Azibert nunca conseguiu o cargo. No entanto, sob a lei francesa, o crime de corrupção pode consistir em simples ofertas ou promessas.

O ex-presidente se retirou da política, mas segue influente entre os conservadores. Ele terá dez dias para recorrer da sentença. Ele afirma ser vítima de uma “caça às bruxas” feita por procuradores fiscais.

Trata-se do segundo ex-presidente francês condenado por corrupção na França moderna. O primeiro foi Jacques Chirac, acusado de empregar amigos na prefeitura de Paris, quando ele ainda era prefeito. Chirac morreu em 2019.

 

(*) Com informações da Folhapress

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

[email-subscribers-form id="1"]