Manaus, 15 de junho de 2024
×
Manaus, 15 de junho de 2024

Política

Governista, Conceição Sampaio explica porque votou contra Temer

Governista, Conceição Sampaio explica  porque votou contra Temer

 

MANAUS – A deputada Conceição Sampaio (PP-AM) votou, nesta semana, contra o parecer  do deputado federal Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que recomendava a rejeição da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB). Ao final da votação, a Câmara arquivou a denúncia e livrou o presidente de responder a processo  por corrupção passiva, no Supremo Tribunal Federal (STF). A parlamentar foi a única da bancada do Amazonas a ir contra o presidente Michel Temer.

Votaram 492 dos 513 deputados federais, sendo que 263 a favor do relatório e 227, contra. “Lamento que mais uma vez tenhamos que passar por isso, mas eu votei contra o relatório por questões de coerência, por convicção, pelo bem do nosso povo. Sou contra todas as formas de corrupção e ninguém é acima da lei”, afirmou Conceição Sampaio. Ela reconhece que mesmo tendo o apoio do governo federal e garantido mais de R$ 60 milhões de recursos ao Estado, fruto de emendas e articulações, as denúncias contra Temer são graves e precisam ser investigadas. 

Denúncia

A Procuradoria Geral da República apresentou a acusação contra Temer por corrupção passiva que, se fosse recebida pelo STF, levaria o presidente a virar réu e, assim, ser afastado do cargo por 180 dias. No entanto, apesar do aprofundamento da crise política a partir da revelação da delação da JBS, em maio deste ano, o governo conseguiu barrar o processo. Se a denúncia fosse aprovada na Câmara, o rito processual seria o mesmo que gerou  impeachment, da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), no ano passado.

Conceição diz que no governo Dilma, também, foi contrária às medidas que afetavam diretamente a população. “Fui contra a reforma trabalhista (MPs 664 e 665) do governo Dilma, que alteraram o acesso às pensões, benefícios do INSS, auxílio-desemprego. Fui contra a terceirização e fui a favor do impeachment, no ano passado. Eu avalio todas as questões com muito cuidado. Priorizo, independentemente de questões partidárias, o bem e respeito ao povo brasileiro e, por isso, prefiro seguir o meu mandato com coerência”, avaliou.