Policiais colocam capuz em homem negro nos EUA, vítima morre asfixiado; veja vídeo - Amazonas1
22 de outubro de 2020
Site auditado pelo
Manaus
23oC  33oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Policiais colocam capuz em homem negro nos EUA, vítima morre asfixiado; veja vídeo

Um vídeo divulgado nesta quarta-feira (02) mostra o momento em que policiais colocam um capuz na cabeça de um homem negro

Policiais colocam capuz em homem negro nos EUA, vítima morre asfixiado; veja vídeo
Foto: Reprodução

Um vídeo divulgado nesta quarta-feira (02) mostra o momento em que policiais colocam um capuz na cabeça de um homem negro, identificado como Daniel Prude. O caso aconteceu em Rochester, no estado de Nova York, nos EUA, no dia 23 de março. Prude morreu um semana depois, em 30 de março, por asfixia.

A divulgação das imagens ocorre em meio ao debate sobre a violência policial e o racismo nos Estados Unidos. O país vive uma onda de protestos desde a morte de George Floyd, em maio. Os atos ganharam novo impulso recentemente após policiais balearem sete vezes Jacob Blake pelas costas.

No caso de Prude, a polícia foi acionada pela própria família da vítima, que buscava ajuda por causa de supostos problemas mentais do homem.

As imagens divulgadas pela família do homem nesta quarta-feira (02) mostram Prude nu, cooperando com os policiais e atendendo às ordens de ficar no chão. Ele estava com as mãos atrás das costas, algemado. Nevava em Nova York, e ele pediu para que os agentes o deixassem ir.

Ainda preso no chão, Prude começou a se contorcer e a gritar para que os policiais o liberassem. Em um momento, quando já estava algemado, ele grita: “Me dá sua arma, vou precisar”.

É aí que os agentes de segurança colocam sobre a cabeça do homem um capuz para evitar que a saliva do preso escape e alcance os policiais. A medida se tornou padrão com a pandemia do novo coronavírus, e, na época, em março, Nova York vivia o início da fase mais grave do surto.

Prude, então, começou a se debater e a implorar para que os policiais o liberassem. Um deles segurou a cabeça do homem sobre o asfalto, apertando o capuz, enquanto outro se ajoelhou sobre as costas da vítima. Essa ação durou cerca de dois minutos. Policiais chegaram a rir enquanto ele se debatia no chão.

Sem ar, Prude parou de gritar. Somente quando começou a sair água da boca do detido é que os policiais demonstraram preocupação. No fim do vídeo, uma ambulância é vista, e médicos fazem procedimentos de reanimação para tentar salvar o homem.

Um médico concluiu que a morte de Prude foi um homicídio causado por complicações de asfixia por ação física. O relatório aponta como fatores complicadores a situação de delírio em que Prude estava e a intoxicação por fenciclidina, droga analgésica que causa alucinações.

Leia mais: Coreias do Norte e do Sul aguardam dois tufões nesta semana

(*) Com informações do G1

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading