MENU

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Organizador da festa clandestina ‘Baile do RB’ é multado em R$ 28,7 mil reais

O organizador do evento clandestino e outros cinco adolescentes foram conduzidos ao 6° Distrito Integrado de Polícia
• Publicado em 08 de maio de 2021 – 17:33
Foto: Pelegrine Neto/SSP-AM

MANAUS, AM – Uma festa clandestina denominada “Baile do RD”, que reunia aproximadamente 200 pessoas, foi fechada na madrugada de sábado (8) por agentes da Central Integrada de Fiscalização (CIF). A festa ocorria em um galpão, na rua Halesia, bairro Colônia Terra Nova, na zona norte. Uma multa de R$ 28,7 mil foi aplicada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmas).

O organizador do evento clandestino e outros cinco adolescentes foram conduzidos ao 6° Distrito Integrado de Polícia (DIP), na Cidade Nova, onde assinaram Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por desobediência de medida sanitária. Os responsáveis pelos adolescentes foram acionados para a liberação dos jovens.

Entre a noite de sexta-feira (8) e a madrugada deste sábado (8), a CIF fechou cinco estabelecimentos por descumprimento das medidas de prevenção à Covid-19.

Um dos locais fiscalizados foi o Boteco do Edu, no bairro Centro, zona sul, que foi interditado por aglomeração. Outro bar na rua Lobo D’Almada foi notificado pelo Corpo de Bombeiros por apresentar irregularidades.

Leia mais: Mais de 10 estabelecimentos foram fechados por aglomeração em Manaus

Na avenida do Turismo, o bar do Cajueiro foi multado pela Semmas por não apresentar licença para uso de equipamento sonoro.

De acordo com o coordenador da operação, capitão Renan Libório, a CIF recebeu diversas denúncias na zona oeste e zona norte e todas foram verificadas. “Observa-se que temos alguns comportamentos de pessoas que ainda querem organizar festas clandestinas, querem descumprir as medidas restritivas do decreto governamental. A CIF continua atuando nos modais terrestre e fluvial, todo final de semana”, garantiu.

O capitão da Polícia Militar ressaltou, ainda, que a CIF possui uma equipe de inteligência responsável por filtrar as denúncias recebidas via 181 e 190 e reafirmou a importância da denúncia da população. “A população tem um papel fundamental. O 190 é o meio principal que a gente coleta as informações e a população tem um papel primordial para o enfrentamento à Covid-19”, disse Libório.

Locais que apresentaram desconformidades:

Forró do Cajueiro

Evento autuado e equipamento de som interditado;

Praça da Saudade

Os estabelecimentos comerciais encontravam-se em funcionamento em desacordo com o decreto, assim como o espaço da praça encontrava-se tomado por populares que aglomeravam. Houve a interdição do equipamento de som do local. As atividades do estabelecimento foram encerradas pela CIF, por permitir aglomeração de pessoas no local. Os populares foram orientados acerca do decreto.

Bar Central Parking

Corpo de Bombeiros notificou o local por irregularidades. A Visa Manaus encerrou as atividades do local e aplicou um auto de infração, pois o estabelecimento possuía CNAE para funcionar apenas como bar.

Boteco do Edu

A Visa Manaus interditou e encerrou as atividades do local e aplicou um auto de infração em virtude de o estabelecimento estar operando acima da capacidade permitida de pessoas e
desrespeitando os protocolos de segurança estipulados pelo decreto.

Mangueira’s Bar

Atividades encerradas pela CIF. A Semmas fez a interdição do equipamento de som.

Espaço Cultural Curupira Mãe do Mato

O estabelecimento comercial encontrava-se em funcionamento em descumprimento ao decreto e teve suas atividades encerradas pela CIF. A Semmas fez a interdição do equipamento de som e notificou o local.

Baile do RD

O local denunciado encontrava-se em funcionamento com a participação de aproximadamente 200 pessoas aglomeradas. O evento foi encerrado pela CIF. A Visa Manaus fez a interdição do local e aplicou uma infração por permitir a aglomeração de pessoas. O organizador do evento foi conduzido ao 6º DIP. A Semmas interditou o equipamento de som e aplicou multa.

(*) Com informações assessoria

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap