'Salve' do CV ameaça delegados e policiais militares do Amazonas
23 de outubro de 2020
Site auditado pelo
Manaus
23oC  33oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

‘Salve’ do CV ameaça delegados e policiais militares do Amazonas

A mensagem da facção criminosa de origem carioca foi direcionada às apreensões realizadas pelas Polícias Civil e Militar durante operações fluvial e urbana

‘Salve’ do CV ameaça delegados e policiais militares do Amazonas
Delegados da Polícia Civil (Fotos: Josemar Antunes/Arquivo)

Um “salve” da facção criminosa Comando Vermelho do Amazonas (CV-AM) foi publicado, neste domingo, 12, nas redes sociais com ameaças de morte a delegados da Polícia Civil e policiais militares da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam). No texto, apagado horas depois, os traficantes relatavam “prejuízos” e que iriam responder à altura.

Em um dos trechos do “salve” eles dizem: “vão rodar na bala”. A mensagem da facção criminosa de origem carioca foi direcionada às apreensões realizadas pelas Polícias Civil e Militar durante operações fluvial e urbana. De janeiro até a primeira quinzena de junho deste ano, o Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc) apreendeu mais de 3 toneladas de drogas.

No comunicado, o CV alerta que irá agir igualmente no Rio de Janeiro, respondendo com “chumbo grosso” e “rajada de fuzil na cara”. Apesar das mensagens com erros de português no perfil criado, o aviso também cita vingança pela morte de Enilton Cordovil Coelho, 36, conhecido como “Roleta” ou “Roletinha”, então chefe  da facção no Amazonas.

Natural de Alvarães (distante 531 quilômetros de Manaus), o traficante e homicida foi morto a tiros no dia 21 de maio de 2020, após reagir a uma abordagem policial na cidade de Simão Dias, no estado de Sergipe (SE). Considerado foragido desde 2018, ele estava na lista de procurados pela polícia do Amazonas e do Ceará.

Por liderar uma organização criminosa no Amazonas, Enilton era investigado na “Operação Contra-Ataque”, deflagrada pelo Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), no último dia 14 de maio deste ano. As investigações apontaram Enilton como o responsável pelas mortes no bairro Compensa, na zona Oeste.

Com perfil “Tropa do Mn G caçador de Fdcu”, que atribui à Família do Norte (FDN), o post também cita perfil de “Mdc O Palhacin do Trem Bala”, com ameaças à polícia. A mensagem diz que os “irmãos estão cheios de ódio”.

Entre os delegados citados no post e  nas ameaças estão: Guilherme Torres, titular do 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP); Juan Valério, coordenador do grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera); Sinval Barroso, titular da Seccional Centro-Oeste, e Paulo Mavignier, diretor do Denarc.

O Portal AM1 entrou em contato com os delegados Paulo Mavignier, Guilherme Torres e Juan Valério, na noite desse domingo, 12. Apenas o delegado Sinval Barroso não atendeu às ligações. Com exclusividade, as autoridades policiais disseram que o “salve” com ameaça de morte não intimida os trabalhos operacionais, porém, que o serviço de inteligência da Polícia Civil vai investigar a procedência do conteúdo e que a segurança pessoal foi reforçada.

Delegado Guilherme Torres, titular do 19º DIP (Foto: Josemar Antunes/Arquivo)

“Eu vou continuar trabalhando e realizando as operações na cidade. O post chegou ao meu conhecimento, mas não ligo. Mesmo assim, a segurança pessoal está reforçada”, disse o delegado Guilherme Torres.

Delegado Paulo Mavignier, diretor do Denarc (Foto: Josemar Antunes/Arquivo)

“A Polícia Civil já está trabalhando para saber de quem partiu essa mensagem. O post foi publicado e removido do perfil nas redes sociais. De qualquer forma, com ameaças ou não, todos os delegados da instituição são precavidos com a segurança”, informou Paulo Mavignier.

Delegado Juan Valério, coordenar do Fera (Foto: Josemar Antunes/Arquivo)

“Eu fiquei sabendo desse aviso com ameaças e minha família logo ficou temerosa. Até o momento nenhum responsável da facção foi identificado, mas o comando da Polícia Civil deve dar início às investigações a partir desta segunda-feira. É lamentável que isso aconteça, mas os nossos trabalhos irão continuar servindo a população e reprimindo a criminalidade”, disse Juan Valério.

O AM1 também fez contato com a assessoria da Polícia Militar do Amazonas (PM) a respeito das ameaças aos policiais “rocanianos”. Em reposta, a assessoria de imprensa informou que não tinha conhecimento da postagem, todavia, deve também investigar a mensagem publicada no perfil da facção criminosa.

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading