US - R$ 4,07

×

Servidores, revoltados com Wilson Lima, param atividades na quarta-feira

Funcionários públicos do Estado pedem ao governador que volte atrás na decisão de congelar os salários das categorias até 2021.

Dirigentes sindicais fizeram um ato público contra a medida do governador Wilson Lima de congelar os salários dos servidores. (Foto: Carlos Bolívar)

Os representantes de várias categorias dos servidores públicos do Amazonas decidiram, neste sábado (20/7), que farão na quarta-feira (24/7) uma paralisação de advertência por 24 horas de todos o serviços. Também deliberaram que às 7h da manhã, de quarta-feira, será feito um ato público em frente à sede do governo.

Durante a manhã deste sábado, as lideranças organizaram uma Assembleia Geral em frente à Arena Poliesportiva Amadeu Teixeira, com intuito de discutirem as estratégias da greve, caso não seja revogada a lei Nº 84/2019 de autoria do governo Wilson Lima, aprovada pelos deputados estaduais no dia 12 de junho.

O ato atraiu vários servidores públicos, que estão indignados com a aprovação dessa medida, pois  congela as remunerações, assim como os reajustes e outras vantagem até o ano de 2021, a revolta  dos servidores pode causar uma paralisação de todos os serviços oferecidos para população.

Jaime Lopes, presidente do Sindicado dos Servidores da Polícia Civil (SINPOL AM), a medida é muito danosa para todas as categorias. “A Polícia Civil está de fato muito impactada, e nos temos essa assembleia geral para a deliberação a cerca da possibilidade  de paralisar todos os serviços essenciais”.

“O desejo dos servidores e lideranças classistas é revigorar os serviços e estruturar, e não implementar cortes,  aguardando uma possível negociação com o governo, para que eles possam discutir alternativas fundamentadas e equilibradas para assegurar os direitos dos servidores públicos do Amazonas e, assim, manter um bom serviço”, disse.

Faça um comentário