Servidores do Estado preparam protestos contra atraso salarial

US - R$ 4,20

×

Servidores do Estado preparam protestos contra atraso salarial

Governo confirmou, nesta sexta-feira, 11, que os dois últimos serão pagos com atraso. Salário de dezembro sai nos dias 3 e 4 de janeiro de 2020

Em reação ao anúncio do governador Wilson Lima (PSC), de que os salários de novembro e dezembro deste ano dos servidores serão atrasados e, dessa forma passarão as festas de fim de ano sem os vencimentos, trabalhadores já preparam um protesto. Representantes sindicais irão se reunir para decidir quais medidas vão tomar em relação ao fato. 

Ao falar sobre o pagamento do 13º salário em entrevista coletiva nesta sexta, o governador revelou que o pagamento referente ao mês de novembro será pago somente nos dias 3 e 4 de dezembro e, o salário que receberiam em  dezembro, será creditado somente nos dias 3 e 4 de janeiro de 2020.

Em nota, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam) informou que irá realizar um ato público em frente a sede do governo na próxima terça-feira para protestar contra essa mudança que pegou os servidores de surpresa.

“A medida nos pegou de surpresa e prejudica os trabalhadores, que já tem um programação definida para honrar o pagamento de suas contas. O governo precisa rever isso”, afirmou a presidente do Sinteam, Ana Cristina Rodrigues.

Além de anunciar a mudança de data do pagamento dois últimos meses do ano, Wilson Lima já havia informado que a primeira parcela do 13° salário será paga nos dias 21 e 22 de novembro, já a segunda será nos dias 19 e 20 de dezembro.

“Na verdade o que fica claro pra gente é que o governo fez algo histórico: ele está pagando o décimo terceiro com próprio salário de servidor, já que ele não vai pagar o salário em novembro, ele tá pegando o salário de novembro e chamando de décimo. Estamos estarrecidos com a condição que os servidores públicos está sendo submetido por esse governo”, criticou o presidente da Associação de Praças do Estado do Amazonas (Apeam), Gerson Feitosa.

Para o dirigente, a medida demonstra total irresponsabilidade e despreparo, falto de tato, e acima de tudo a incapacidade de gerir a folha de pagamento dos funcionários. “Esse governo parece que não tem habilidade para administra e honrar com os 13 meses de salários dos servidores do Estado”, declarou Feitosa. 

O presidente da Apeam garantiu também que o associação irá se reunir nos próximos dias, com outros presidentes sindicais e associações representativas, junto com movimentos sociais, para definirem juntos o que irão fazer, mas afirma que “não irá deixar em branco”.

Ele também diz que os servidores públicos terão prejuízos no pagamento de IPVA de seus veículo, assim como na matrícula escolar e compra de materiais estudantis, que são comprados nesse período do ano, alegando afetar principalmente a família do servidor.

Prejuízos

Uma professora de sociologia do Estado, que pediu o sigilo da fonte, informou ao Amazonas1 que mudança do calendário, já no fim do ano, prejudica o pagamento das contas que estão a vencer.

“Eu estou insatisfeita com essa mudança de calendário logo no final do ano, temos contas para pagar e que irão vencer e pagaremos com juros”, lamentou.

Sispeam vai questionar o governo

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Estaduais do Amazonas (Sispeam), Riad Ballut, informou que irá mandar um ofício para o governador para saber o que está acontecendo com as finanças.

“O Sindicato vai tentar se manifestar junto ao governador e iremos fazer todo o possível para reverter isso. E o mais preocupante é que ele está pegando o dinheiro da Afeam para pagar o décimo terceiro, e eu me pergunto: como fica o ano que vem?”.

“É lamentável, a falta de gerenciamento desse governo diante da arrecadação que só vem crescendo no nosso Estado. O mais triste de tudo é que o servidor público é o culpado”, finalizou Riad.

Faça um comentário