MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Após quase 20 anos, pedófilos são presos em Manaus

A ação foi coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública e ocorreu em 26 estados e no Distrito Federal
Da Redação – Portal Amazonas1
• Publicado em 16 de julho de 2021 – 14:30
(Foto: Divulgação/ PC-AM)

MANAUS, AM – Muitos e muitos anos fugindo. Dois homens foram presos por estrupo de vulnerável na manhã desta sexta-feira (16), em Manaus. Um deles fugiu por 10 anos. O outro por 18 anos. As prisões aconteceram na operação Acalento. A ação foi coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública em parceria com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, e ocorreu em 26 estados e no Distrito Federal.

A titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), Joyce Coelho, afirmou que um dos presos, um homem de 61 anos, abusou sexualmente das enteadas de 10 a 11 anos em 2011, na casa onde a família morava.

“Esse homem foi flagrado abusando sexualmente da enteada de 10 anos e a partir de então esses fatos foram noticiados na Depca e os procedimentos foram tomados. Hoje ele está condenado à pena de 14 anos de reclusão pela prática do crime de estupro de vulnerável tendo como vítimas as duas enteadas”, disse

No segundo caso, um homem de 51 anos cometeu o estupro contra um menino de seis anos em 2003. “Na época desse fato em 2003, a criança ia com a mãe para o trabalho. A mãe tinha um comércio e quando o menino saiu para ir para um banheiro que ficava no local, numa área externa do comércio, esse homem se aproveitou, entrou no banheiro e violentou a criança”, afirmou a delegada. O criminoso foi condenado a 22 anos de prisão.

De acordo com Joyce Coelho, o homem tem antecedentes criminais pelo estupro de outra criança – pelo qual ainda não foi julgado –, estupro de uma pessoa adulta – que ainda corre na Justiça – e histórico de ameaças e lesões corporais. “Além do que, ele faz uso de tornozeleira eletrônica pelo tráfico de drogas”, disse.

Leia também: Mulher sai de casa para visitar amiga e some em Manaus; família pede ajuda

A delegada explica que a demora para prisão dos condenados ocorreu por questões legais, que variam em cada caso. Além disso, todos os mandados só são expedidos com a sentença final. “Somente após a avaliação do segundo grau de jurisdição confirmando a condenação é que é expedido o mandado para que a gente possa cumprir essa prisão”, disse.

A operação Acalento ainda tem mais dois alvos em Manaus, que estão foragidos. Entre eles, um guarda municipal condenado a 24 anos de prisão. “Acreditamos que após ter conhecimento da sentença e expedição do mandado ele tenha se evadido da capital. A gente vai até providenciar um cartaz com foto para que possamos fazer essa divulgação”, informou.

O outro foragido é procurado pelos crimes de violência sexual e física. Nesse caso, trata-se de prisão preventiva, segundo a delegada. “Um homem que tem oito filhos e abusava de duas filhas”, disse.

*Com informações da assessoria 

 

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap