MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Atletas paralímpicos do Afeganistão não conseguem voo para deixar o país

Após a chegada do Talibã, atletas afegãos não conseguiram deixar o país para participarem dos Jogos Paralímpicos 2021
Da Redação – Portal AM1*
• Publicado em 17 de agosto de 2021 – 10:19
Foto: Reprodução

TÓQUIO, JAPÃO – Zakia Khudadadi teria sido a primeira mulher a representar o Afeganistão em uma Paralimpíada quando esta começar em Tóquio neste mês, mas seu sonho foi destruído pelo caos que sacode o país.

Radicado em Londres, o chefe de missão do Comitê Paralímpico Afegão, Arian Sadiqi, disse à Reuters nesta segunda-feira (16) que os dois atletas de sua nação não poderão comparecer aos Jogos, que se iniciam no dia 24 de agosto.

“Infelizmente, devido à comoção que ocorre no momento no Afeganistão, a equipe não conseguiu partir de Cabul a tempo”, declarou.

Forças dos Estados Unidos assumiram o controle do tráfego aéreo no aeroporto de Cabul, onde cinco pessoas morreram nesta segunda-feira em meio a cenas caóticas de disparos para o alto e pisoteamento.

Insurgentes do Talibã dominaram grandes cidades e agora comandam a maior parte do Afeganistão.

Leia mais: GP de São Paulo terá 100% de público vacinado

Sadiqi disse que deveria voar para o Japão nesta segunda-feira, e a equipe formada pela lutadora de taekwondo Khudadadi e pelo praticante de atletismo Hossain Rasouli deveria chegar no dia 17 de agosto.

Khudadadi foi destaque do site da Paralimpíada na semana passada falando de suas esperanças para os Jogos.

“Fiquei empolgada após receber a notícia de que recebi um convite para competir nos Jogos. Esta é a primeira vez que uma atleta feminina representará o Afeganistão nos Jogos, e estou muito feliz”, disse na ocasião a esportista de 23 anos, de Herat.

Sadiqi afirmou que os atletas estavam tentando conseguir voos, mas que os preços dispararam enquanto o Taliban tomava uma série de cidades, e depois a viagem se tornou impossível.

(*) Com informações da Agência Brasil

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap