MENU

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Bolsonaro admite interferência na Petrobras: “eu sou o presidente”

Bolsonaro teria usado a substituição de Castilho como meio de interferência em assuntos da Petrobras
• Publicado em 28 de maio de 2021 – 23:34
Bolsonaro
Foto: Agência Brasil

BRASÍLIA, DF – Três meses depois de promover mudanças na chefia da Petrobras, o presidente Jair Bolsonaro reconheceu que interferiu na estatal para substituir o ex-presidente Roberto Castello Branco por Joaquim Silva e Luna.

Leia mais: Randolfe diz que Bolsonaro promove “fratura do pacto federativo”

Ao conversar com apoiadores na noite desta sexta-feira (28), o chefe do Executivo disse que é uma prerrogativa dele escolher quem bem entender para o comando de instituições vinculadas ao governo federal.

“Da nossa parte eu troquei o comando da Petrobras. No começo foi um escândalo. “Interfere”. É para interferir mesmo. Eu sou o presidente. Ou eu assumo e tenho que manter todo mundo empregado?”, questionou Bolsonaro.

À época das mudanças, o presidente demonstrou muita insatisfação pelo trabalho desempenhado por Castello Branco, em especial por conta da constante alta no valor dos combustíveis. Silva e Luna, segundo Bolsonaro, foi escolhido para mudar essa situação.

“Ele (Silva e Luna) foi para lá, assumiu. O então presidente levou quase dois meses para sair, porque tem conselho que vota. O negócio é burocrático. E ele está ultimando estudos, com o conselho novo também, que foi colocado lá, para ter previsibilidade no aumento de combustíveis. Não é interferência, é previsibilidade”, explicou.

 

*Com informações Correio Brasiliense

 

Bolsonaro

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap