13 protocolos de vacinas experimentais estão sendo avaliados pela Conep no Brasil
26 de novembro de 2020
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

13 protocolos de vacinas experimentais estão sendo avaliados pela Conep no Brasil

O Ministério da Saúde anunciou nesta quinta-feira (20) que há 13 protocolos de vacinas experimentais contra o novo coronavírus sendo avaliados pela Conep (Comissão Nacional de Ética em Pesquisa) para realização de ensaios clínicos no Brasil. “Nós temos hoje 13 protocolos de vacina, incluindo ensaios clínicos de revacinação e ensaios de fase 1. No ensaio […]

13 protocolos de vacinas experimentais estão sendo avaliados pela Conep no Brasil
Foto: divulgação

O Ministério da Saúde anunciou nesta quinta-feira (20) que há 13 protocolos de vacinas experimentais contra o novo coronavírus sendo avaliados pela Conep (Comissão Nacional de Ética em Pesquisa) para realização de ensaios clínicos no Brasil.

“Nós temos hoje 13 protocolos de vacina, incluindo ensaios clínicos de revacinação e ensaios de fase 1. No ensaio de fase 3 temos quatro protocolos enviados, sendo três aprovados e um em diligência”, disse Elio Angotti Neto, secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos.

Segundo o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, está sendo criado um grupo de trabalho com integrantes da comunidade cientifica, Anvisa, Conselho Federal de Medicina, Fiocruz e vários outros órgãos e entidades para que sejam definidos os públicos prioritários a serem imunizados.

“Serão definidos para que sejam imunizados com a vacina da AstraZeneca ou outra que fique pronta antes com efetividade, para que possamos dar a imunidade desejada para a população brasileira dentro do que for possível”, destacou.

Apesar de a pasta não descartar adquirir outra vacina, a Fiocruz e a AstraZeneca assinaram no dia 31 de julho o documento que dará base para o acordo entre os laboratórios para a transferência de tecnologia e produção de 100 milhões de doses da vacina contra a Covid-19, caso seja comprovada a sua eficácia e segurança. Para custear a transferência, foi assinada no dia 6 de agosto uma medida provisória no valor de 1,9 bilhão.

 

(*) Com informações da Folhapress

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading