Caprichoso e Garantido saem correndo da arena sem finalizar as apresentações na 1ª noite

Apesar da expectativa, ambos os bois precisaram deixar a arena do Bumbódromo às pressas e sem finalizar as apresentações
Camila Duarte/Portal AM1
Publicado em 25/06/2022 08:55
Foto: Erik Bittencourt /AM1

Parintins, AM – A contagem regressiva para o Festival Folclórico de Parintins já encerrou. Nessa sexta-feira (24), os bois Caprichoso e Garantido retornaram à batalha – que estava dois anos parada por conta da pandemia da covid-19. Apesar da expectativa, ambos os bois precisaram deixar a arena do Bumbódromo às pressas e sem finalizar as tão esperadas apresentações.

O Boi Garantido ficou na responsabilidade de abrir a noite do festival. Com o tema ‘Amazônia do Povo Vermelho’, a primeira noite do boi encarnado foi voltada para as matizes indígena e cabocla.

Logo após o apresentador Israel Paulain balançar a ‘galera inigualável’, foi a vez de David Assayag emocionar ao defender o item de levantador de toadas do Garantido, após 10 anos fora do boi vermelho.

O Garantido apresentou um ritual gigantesco do rito do Krahô, ou seja, a ressurreição daquele que ainda não estava pronto para morrer.

Foto: Erik Bittencourt /AM1

Com uma apresentação de tirar o fôlego da galera vermelha e branca, o Garantido pecou durante a noite. Isso porque na última evolução de item, o boi Garantido já estava chegando no limite máximo da apresentação, que deve encerrar após 2 horas e 30 minutos.

Lado azul

O Boi Caprichoso não poupou recursos para surpreender os jurados. Logo na entrada, o apresentador Edmundo Oran e o levantador de toadas, Patrick Araújo, deixaram o Bumbódromo arrepiado.

Pendurados no maior guindaste do Brasil, o Caprichoso fez uma homenagem ao pop da selva, Arlindo Junior. Ao som de candelabros azuis, o boi Caprichoso iniciou a apresentação para o que ainda seria uma noite de surpresas que não parava por aí.

Dando início ao projeto ‘Amazônia, Nossa Luta em Poesia’, o Boi Caprichoso fechou a primeira noite do evento com a sensação de dever cumprido, segundo os torcedores fervorosos.

Um dos destaques da noite foi a alegoria de ‘A Friagem’, de Algles Ferreira. O ritual nunca contado anteriormente no festival, a alegoria gigante do artista Caprichoso fez povo de Parintins congelar.

Foto: Erik Bittencourt /AM1

Com neve e muitos efeitos especiais, o bumbá azul e branco conseguiu prender a atenção do público para cada detalhe em movimento e cada transformação na arena.

Apesar da grandiosidade constante da apresentação do boi da Francesa, o Caprichoso não conseguiu controlar o tempo, e assim como o Garantido, preciso sair correndo da arena. No entanto, o Caprichoso fechou o portão com o contador marcando às 2 horas e 30 minutos, ou seja, até o momento, sem penalidades.

Na segunda noite, o Boi Caprichoso abrirá as apresentações.

Compartilhar:
Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

+ NOTÍCIAS