Corpos encontrados precisam passar por perícia para identificação, diz esposa de Dom Phillips

A esposa de Dom Phillips confirmou a informação para um jornalista ambiental da Globonews
DA REDAÇÃO – PORTAL AM1
Publicado em 13/06/2022 11:07

MANAUS – Depois de confirmar que os corpos encontrados no Vale do Javari eram do jornalista inglês Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira, a esposa do jornalista, Alessandra Sampaio, informou que os corpos ainda não foram identificados, o que só deve ocorrer após perícia.

Em entrevista a Globonews, o jornalista ambiental André Trigueiro afirmou que a esposa de Dom teve a confirmação pela Embaixada Britânica, que também fez contato com os irmãos de Dom sobre a localização dos corpos.

“Perguntei a ela se a informação estava confirmada, ela disse que sim, que havia recebido a informação de amigos na Amazônia e da Embaixada Britânica, que já havia reportado esse fato aos irmãos de Dom Phillips na Inglaterra”, disse.

Leia mais: Corpos de Dom Phillips e Bruno Pereira foram encontrados, afirma esposa de jornalista

O jornalista afirmou que, após a informação ser divulgada, ele recebeu uma nova ligação da esposa de Dom Phillips, em que relatava que os corpos encontrados ainda precisariam passar por uma perícia para identificação.

“Quinze minutos depois, Alessandra volta a fazer contato e diz que tinha acabado de receber uma ligação da Polícia Federal, confirmando que dois corpos haviam sido encontrados, entretanto, os corpos não tinham sido identificados e isso só seria possível a partir do trabalho da perícia”, comentou.

“A Embaixada Britânica, ratificou o trabalho da Polícia Federal dando conta de que até que o trabalho da perícia seja concluído, formalmente, aguarda-se essa informação para assumir se os corpos eram de Dom Phillips e Bruno Pereira”, destacou.

Entenda o caso

O indigenista brasileiro Bruno Araújo Pereira e o jornalista inglês Dom Phillips, colaborador do jornal The Guardian, estão desaparecidos no Vale do Javari, no Amazonas. Os dois faziam o trajeto de barco entre a comunidade ribeirinha São Rafael até a cidade de Atalaia do Norte, e deveriam ter chegado no município no domingo (5), o que não aconteceu.

Na quarta-feira (8), Amarildo da Costa de Oliveira, o Pelado, foi preso como principal suspeito de envolvimento no desaparecimento. Meses antes do desaparecimento, Pelado havia sido denunciado por invasão de terra indígena e pesca ilegal pela União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja) pelo próprio indigenista. O caso está em investigação.

Compartilhar:
Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

+ NOTÍCIAS